01 setembro 2017

Resenha Crítica: "The Trip to Spain" (A Viagem a Espanha)

 Num determinado momento de "The Trip", encontramos Rob Brydon a salientar "It's 2010, everything's been done before. All you can do the same but better or differently". "The Trip to Spain" está consciente disso, ou seja, não tenta fazer melhor do que "The Trip", ou "The Trip to Italy", os dois filmes anteriores da "saga", mas aparece como algo relativamente diferente e igualmente hilariante. Desta vez não encontramos as versões ficcionais e exageradas de Rob Brydon e Steve Coogan a viajarem pelo Norte de Inglaterra (como em "The Trip") ou por Itália (como em "The Trip to Italy"), mas sim por diversos territórios de Espanha, enquanto os protagonistas efectuam imitações, escarnecem um do outro, expõem os seus feitos e as suas fraquezas, provam boa comida e exibem um talento notório para a improvisação. "The Trip to Spain" é um hino à improvisação e à arte de fazer comédia, que beneficia imenso da mestria com que Steve Coogan e Rob Brydon dominam os timings humorísticos e transmitem a intimidade que marca a relação de amizade da dupla de protagonistas. É, também, um retrato sobre a masculinidade e a forma como os homens encaram o avançar da idade, a paternidade, o amor e a amizade, com "The Trip to Spain" a colocar-nos diante de dois indivíduos que se conhecem há bastante tempo. "The Trip to Spain" joga com o facto de já conhecermos estes personagens e as suas peculiaridades, seja o prazer que Rob tem em imitar a voz de Roger Moore, Michael Caine e Al Pacino, ou os comentários sardónicos de Steve, com Michael Winterbottom a criar a agradável sensação de que estamos a revisitar velhos amigos ao mesmo tempo que atribui novas camadas a estes personagens. Diga-se que essa sensação de familiaridade faz com que esperemos com ansiedade pelas reacções de Steve às imitações de Rob, ou aguardemos com alguma curiosidade pelo regresso do "homem na caixa", entre outros exemplos.


Se a trilogia iniciada em "Before Sunrise" aborda com acerto o relacionamento de um casal, já estas viagens protagonizadas por Steve e Rob permitem explorar as dinâmicas de uma relação de amizade entre dois homens. A dupla de protagonistas propõe-se a efectuar seis refeições em seis sítios diferentes diferentes de Espanha, enquanto tem de escrever críticas gastronómicas e visita uma série de locais. As imitações fazem parte do cardápio, bem como os diálogos mordazes ou plenos de humanidade, com os intérpretes a parecerem divertir-se imenso a darem vida a versões exageradas de si próprios e a divertirem-nos pelo caminho. Veja-se como um diálogo sobre os mouros pode servir para um momento hilariante em que Roger Moore é metido à conversa e imitado de forma exaustiva, ou a cena em que aparecem vestidos de Dom Quixote e Sancho Pança. Steve continua solteiro e solitário, tenta estar próximo do filho, mantém sentimentos fortes por Mischa e procura que ninguém mexa no argumento que escreveu. Rob tem mais um filho e exibe uma enorme união e proximidade com a esposa. A faceta mais séria destes indivíduos também não é esquecida, seja quando os assuntos versam a vida privada ou a carreira profissional dos intérpretes, ou nos momentos em que assumem uma faceta melancólica. Note-se o caso de Steve, com este a ter de lidar com o facto de não poder controlar o tempo e o avançar da idade. A relação com Mischa está num impasse, sobretudo devido ao facto desta ser casada com outro homem, enquanto que o filho, agora com vinte anos de idade, prepara-se para lhe dar uma surpresa, com Michael Winterbottom a saber utilizar os ingredientes que tem à disposição com acerto.  


Sim, "The Trip to Spain" pode ser considerado uma espécie de resumo da terceira temporada de "The Trip". Sim, a sua "linguagem" está mais próxima da TV do que do cinema. Sim, podemos ser um pouco cínicos e salientar que estamos diante de comida requentada. No entanto, é comida requentada que sabe melhor do que muitas refeições feitas na hora. Os diálogos acutilantes acumulam-se (é simplesmente delicioso observar Rob a escarnecer com o facto de Steve estar sempre a falar de "Philomena", bem como o segundo a ironizar com a apetência do primeiro para estender as imitações), tal como as situações em que a história e a cultura dos espaços por onde os protagonistas circulam são eficazmente aproveitados, enquanto Steve Coogan e Rob Brydon improvisam, incutem densidade às suas versões ficcionais e contribuem para que "The Trip to Spain" surja como um pedaço hilariante de entretenimento.


Título original: "The Trip to Spain".
Título em Portugal: "A Viagem a Espanha".
Realizador: Michael Winterbottom.
Argumento:
Elenco: Steve Coogan, Rob Brydon.

Sem comentários: