01 novembro 2014

Resenha Crítica: "Red Sorghum" (Hong gao liang)

 A utilização paradigmática da cor e a criação de belíssimas imagens em movimento são algumas das imagens de marca de Zhang Yimou, um dos cineastas mais influentes da chamada quinta geração dos cineastas chineses. A sua primeira longa-metragem foi "Red Sorghum", uma obra belíssima, visualmente estimulante, marcada por uma história onde o drama, o humor, um estranho romance e a guerra estão presentes. Yimou interessa-se pelas gentes comuns, pelas figuras algo à margem, deixando-nos perante uma personagem feminina forte, algo que também vai marcar vários dos seus trabalhos como "Ju Dou", "Raise the Red Lantern", "House of the Flying Daggers", entre outras obras. Esta personagem feminina é Jiu'er, interpretada por Gong Li, uma das musas do cineasta, uma mulher de origens humildes que no início do filme encontramos a ser transportada pelos trabalhadores de Li Datou, o seu futuro esposo, com quem esta foi praticamente obrigada a casar. Este é um leproso já com os seus cinquenta anos de idade, que pouco interesse parece gerar nesta jovem, possuindo uma destilaria onde trabalha um vasto conjunto de elementos. Estes transportam a protagonista na sua liteira, bem como Yu (Jiang Wen), um indivíduo algo impulsivo, por vezes violento, que sente uma enorme atracção pela protagonista. A liteira é marcada pelas tonalidades vermelhas, com esta cor a preencher o corpo da protagonista, também ela com vestes encarnadas. Símbolo de desejo junto dos homens, esta aparenta uma certa fragilidade, mas também alguma sensualidade, com Gong Li a ser capaz de exibir as transformações que esta mulher vai conhecendo ao longo do enredo. A viagem é marcada ainda pelos campos verdejantes, rodeados pela presença de sorgo selvagem e um Sol luminoso, com Jiu'er a parecer ter algumas dúvidas, embora o maior perigo venha quando surge San Pao (Chun Hua Ji), um assaltante. Tudo se resolve, com Yu a defender a protagonista, com esta a ser transportada até junto do esposo. Três dias depois esta visita o seu pai, um homem algo egoísta que pensa apenas na procura de ver a filha casada com alguém com estabilidade financeira, após ter arranjado o casamento. No caminho para casa do pai esta depara-se com Yu, com quem faz sexo no meio das matas rodeadas de sorgo, algo que este vai revelar publicamente após a misteriosa morte de Li Datou. Não vemos nada de gráfico, com Zhang Yimou a trocar os corpos pelas imagens das folhas de sorgo a movimentarem-se, algo cheio de simbolismo que atribuiu alguma poesia ao filme. Jiu'er passa a gerir os negócios da destilaria onde fabricam Kaoling, com os negócios a irem de vento em poupa nesta pequena localidade do norte da China, praticamente à parte de tudo e de todos. Esta ainda é raptada por San Pao, sendo resgatada por Luohan (Teng Rujun), um indivíduo que consegue reunir o dinheiro do resgate, com tudo a parecer voltar ao normal. Nove anos depois, Jiu'er tem um filho com Yu, mas o quotidiano destes personagens é abalado com a chegada dos soldados japoneses que invadem o território. Estamos em plena Segunda Guerra Sino-Japonesa, com Zhang Yimou a exibir-nos a violência do conflito e os seus efeitos nos civis, onde a brutalidade é visível, o sangue jorra e as tonalidades vermelhas preenchem o ecrã, qual quadro pintado meticulosamente.

Os planos arquitectados por Zhang Yimou por vezes parecem pequenas pinturas em movimento, obras de arte onde uma cena marcada por enorme violência pode surgir associada a algum lirismo, embora a dor sentida pelos personagens seja transmitida. A utilização paradigmática da paleta cromática e a cuidada cinematografia de Gu Changwei (que viria a trabalhar com Zhang Yimou em "Codename Cougar" e "Ju Dou") são elementos que marcam "Red Sorghum" e permitem exacerbar os episódios e os cenários que rodeiam o enredo. Parte do território que rodeia o caminho para a destilaria é marcado pela presença verdejante do sorgo, enquanto as tonalidades vermelhas dominam inicialmente a narrativa. A própria mudança do vestuário da protagonista, de vermelho para cor de rosa, indica uma maior brandura desde que procura gerir os negócios do falecido esposo, já não para falar quando somos brindados com belas cenas nocturnas onde os tons azuis passeiam pelo ecrã. Não existe apenas poesia nestas imagens em movimento. Veja-se o esbatimento das cores e iluminação aquando da chegada dos japoneses ao território, exibindo o final daqueles períodos algo radiantes destes personagens. A vida destes não era abastada, mas dava para sobreviverem e trabalharem de forma suficiente para não terem problemas, enquanto Zhang Yimou nos transporta para Slope Shibali, uma localidade rural localizada a leste de Shandong. Os homens parecem andar quase todos em tronco nu, prontos a trabalhar, enquanto a personagem interpretada por Gong Li integra-se no interior deste meio dominado pelas figuras masculinas, conseguindo impor-se e manter a prosperidade do negócio. Colaboradora habitual de Zhang Yimou, uma relação profissional que foi recentemente reatada em "Coming Home", uma obra bastante recomendável, Gong Li tem em "Red Sorghum" uma estreia maravilhosa na interpretação cinematográfica com quase tudo a correr bem. Esta é capaz de nos convencer das nuances da sua personagem, uma mulher simultaneamente frágil e forte, tanto capaz de sucumbir facilmente perante Yu, como desafiar a invasão japonesa. Os elementos do conflito são abordados sobretudo no último terço do filme, com Zhang Yimou a procurar acima de tudo concentrar os seus esforços em explorar os relacionamentos destes personagens neste espaço rural, até arrasar com o seu quotidiano com a entrada do contingente militar nipónico. Quem também se destaca é Jiang Wen como o abrutalhado Yu, um indivíduo disposto a tudo para juntar-se à protagonista, tendo atitudes tão peculiares e irreflectidas como urinar para os potes de licor de sorgo. A história é narrada pelo neto da protagonista, com este a nunca ser visto mas a efectuar pequenos comentários sobre os episódios que vamos encontrando ao longo desta obra baseada no livro Red Sorghum: A Novel of Chinad de Mo Yan. Na sua primeira obra cinematográfica como realizador, Zhang Yimou procura explorar temáticas relacionadas com o passado do seu país, algo recorrente na sua filmografia, apresentando desde logo uma protagonista feminina com uma personalidade forte, conseguindo incluir de forma homogénea como o conflito entre a China e o Japão afectou os civis. Zhang Yimou teve alguns trambolhões ao longo da sua carreira, mas isso não apaga os momentos de genialidade que tem apresentado, tendo em "Red Sorghum" uma estreia em grande nível, uma obra cinematográfica que facilmente fica guardada na memória e merece ser apreciada com toda a nossa atenção.

Título original: "Hong gao liang"
Título em inglês: "Red Sorghum".
Realizador: Zhang Yimou.
Argumento: Chen Jianyu e Zhu Wei.
Elenco: Gong Li, Jiang Wen, Teng Rujun.

Sem comentários: