31 julho 2014

Resenha Crítica: "This Gun For Hire" (1942)

 Tendo como base o livro "A Gun For Sale" de Graham Greene, "This Gun For Hire" apresenta-nos a Philip Raven (Alan Ladd), um protagonista típico dos filmes noir. Algo cínico, com uma relação complexa com as mulheres, independente, pouco dado a grandes falas ou contemplações, Raven é um assassino a soldo que no início do filme encontramos a assassinar Albert Baker (Frank Ferguson), um químico e chantageador e a secretária deste, a mando de Willard Gates (Laird Cregar). Raven recupera uma fórmula roubada que Gates e o seu chefe pretendem vender ao inimigo, acabando por ser traído pelos seus empregadores, com o personagem interpretado por Laird Cregar a pagar-lhe em notas marcadas. Willard faz queixa na polícia de que esse dinheiro foi furtado da Nitro Chemical, a empresa do seu chefe, procurando assim livrar-se de Raven, enquanto este último vai ter de fugir das autoridades e procurar vingar-se do seu empregador. Enquanto isso, Ellen Graham (Veronica Lake), uma mulher conhecida pelos seus talentos a entreter os clientes dos clubes nocturnos com a sua voz, os seus números de dança e magia, mas também pela sua sensualidade, é contratada para espiar Willard Gates, conseguindo que este a seleccione para o Neptune, o seu clube nocturno em Los Angeles. É no comboio para Los Angeles que Ellen conhece Phillip Raven, com este a roubar-lhe inicialmente o dinheiro da carteira, embora esta não denuncie o protagonista. No comboio, Willard vê Raven e Ellen juntos, algo que o conduz a pensar que estes se preparam para o trair, uma situação que o impele a raptar esta, sobretudo quando a mesma mente em relação ao companheiro no meio de transporte. Ellen é namorada de Michael Crane (Robert Preston), um polícia de San Francisco que também acaba envolvido no caso, embora não saiba inicialmente que a personagem interpretada por Veronica Lake se encontra a trabalhar como espia. Raven descobre que Ellen foi raptada, procurando salvar esta enquanto se envolve em fugas complicadas e enfrenta alguns perigos, com o seu destino a surgir incerto ao longo deste filme noir que tantos elementos partilha com vários filmes deste subgénero. A começar pelo personagem interpretado por Alan Ladd, com o actor a atribuir o cinismo necessário a este elemento traumatizado pelo passado cujas maiores demonstrações de humanidade acontecem quando conta com a companhia de gatos.

Este foi o primeiro grande papel de Alan Ladd, permitindo-lhe ganhar estatuto em Hollywood e exibir o seu talento para a representação, naquela que foi a sua primeira de quatro colaborações com a lendária Veronica Lake. Esta interpreta uma loira patriótica, pronta a seduzir tudo e todos, que mantém um caso com um polícia mas nem por isso deixa de apresentar alguma simpatia para com Raven, gerando-se alguma tensão sexual entre ambos. Veja-se quando ambos estão juntos a aguardar pelo amanhecer e pela entrada em cena da polícia, com a câmara de filmar a expor os rostos de ambos e a exibir os sentimentos desta dupla. O rosto de Ellen exibe uma certa candura, mas também determinação, parecendo procurar descobrir os sentimentos do aparentemente indecifrável Raven, enquanto este mostra alguns traumas e expõe um enorme vazio que acompanha a sua existência. Ellen é uma mulher fatal, que trabalha em clubes nocturnos, espaços privilegiados deste subgénero de filmes, envolvendo-se numa investigação policial, embora esteja longe de ter de fazer os sacrifícios de uma Alicia Huberman (protagonista de "Notorious"). A relação entre Ellen e o protagonista surge marcada por algum pragmatismo, com ambos a procurarem cumprir os seus objectivos, mas a demonstrarem algumas afinidades no interior deste espaço citadino marcado pelo crime. "This Gun For Hire" deixa-nos perante uma cidade de Los Angeles insegura, típica desta atmosfera inquieta da II Guerra Mundial (e do período que se lhe seguiria), com o enredo a colocar-nos perante conspirações, intrigas, crimes, autoridades com dificuldade em repor a ordem, traições à pátria, raptos e mortes violentas. Frank Tuttle realiza com acerto este filme noir marcado por vários elementos deste subgénero, não faltando a utilização do chiaroscuro, as célebres sombras das persianas a simbolizarem prisão, o clube nocturno, personagens cínicos e de carácter dúbio, o espaço urbano, marcado pela insegurança, a tensão sexual entre o protagonista e a personagem feminina principal, para além de algum patriotismo. O filme foi lançado em 1942, ou seja, ainda durante a II Guerra Mundial, apresentando uma mensagem notoriamente patriótica e de apelo à participação na defesa da causa aliada, algo visível na forma como Ellen procura convencer Raven a descobrir provas que incriminem que Willard e o seu chefe se encontram a colaborar com o inimigo, no caso, o Japão (o filme foi lançado em Maio, pouco tempo depois do ataque japonês a Pearl Harbor). Nesse sentido, "This Gun For Hire" é também um filme que é muito fruto do seu tempo, colocando-nos perante uma atmosfera marcada pela insegurança, adensada por uma cuidada cinematografia de John Seitz, mas também pelo argumento de Albert Maltz e W. R. Burnett.

O argumento é competente, bem como a realização de Tuttle (marcada pelo ritmo intenso que atribui ao enredo), com "This Gun For Hire" a ser capaz de apresentar um conjunto de situações inquietantes que facilmente despertam o nosso interesse em saber o que vai acontecer ao protagonista e a Ellen. Veja-se quando as autoridades vão procurar por Raven no local onde este alugou um quarto, mas também o momento em que este tenta enganar as autoridades na saída do comboio, entre vários outros momentos. O argumento é ainda inteligente ao despertar a nossa simpatia por este assassino a soldo, um elemento com algumas demonstrações de humanidade, embora não tenha problemas em matar e expor os seus ímpetos violentos. É um personagem algo cínico, com o pulso esquerdo deformado, cujo passado influi de forma clara no presente embora essa situação não chegue para justificar todos os seus actos, parecendo aparentemente impassível apesar de exibir uma notória fragilidade quando elimina um gato. Ladd sobressai, bem como alguns dos seus diálogos, embora o filme conte ainda com outros elementos do elenco que merecem algum realce. Um desses elementos é Laird Cregar como o criminoso que não gosta de "sujar as mãos", procurando não matar ou raptar directamente as suas vítimas, preferindo antes dar ordens embora esteja longe de ser um exemplo. Em certa medida faz-nos recordar um pouco o imponente personagem interpretado por Sydney Greenstreet em "The Maltese Falcon", embora não goze da mesma habilidade para a oratória e o carisma deste último. Temos ainda Robert Preston como o polícia que procura liderar a perseguição a Raven, um elemento que durante bastante tempo não sabe a função de espia da sua cara metade. Pelo meio temos alguns elementos que nem sempre fazem sentido, tais como Ellen a deixar pistas para Michael e as autoridades saberem onde esta e Raven se encontram, uma situação que pede em demasia para que desliguemos o nosso lado mais pragmático, embora em nada prejudique a visualização do filme. Por vezes as sombras e o nevoeiro envolvem os cenários e os personagens ao longo de "This Gun For Hire", mas nem por isso estes parecem ficar encobertos em relação ao destino, enquanto ficamos perante um assassino impassível que facilmente nos compele a seguir os eventos que rodeiam a sua pessoa e a admirar a excelente interpretação de Alan Ladd. 

Título original: "This Gun For Hire".
Título em Portugal: "Aluga-se Esta Arma". 
Realizador: Frank Tuttle.
Argumento: Albert Maltz e W.R. Burnett.
Elenco: Veronica Lake, Robert Preston, Laird Cregar, Alan Ladd.

Sem comentários: