03 julho 2017

Resenha Crítica: "Hymyilevä mies" (O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki)

 Existem filmes que nos conquistam quando menos esperamos. "Hymyilevä mies" (em Portugal: "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki") é um desses casos, com a segunda longa-metragem realizada por Juho Kuosmanen a contribuir para revigorar o nosso prazer em efectuar descobertas entre as várias estreias semanais e a paixão que temos pelo cinema. É uma obra cinematográfica que nos conquista pela forma genuína como retrata as relações humanas e o amor que une Olli Mäki (Jarkko Lahti) e Raija (Oona Airola), bem como pela sua cinematografia cuidada e pela subtileza na abordagem das temáticas, com Juho Kuosmanen a realizar um filme que tem o mundo do boxe como pano de fundo, embora no seu cerne esteja a história de uma boa pessoa que se apaixona por outra boa pessoa. Olli Mäki (Jarkko Lahti) é um pugilista que podemos definir como uma boa pessoa. Este apaixona-se por Raija (Oona Airola) que, curiosamente, também é uma boa pessoa, com a relação que se forma entre ambos a contar com contornos ternos e sinceros. A sinceridade e simplicidade são outras características que marcam a personalidade de Olli e Raija, com Jarkko Lahti e Oona Airola a contribuírem para transmitir a sensação de que estamos diante de duas figuras genuínas. A dinâmica entre Jarkko Lahti e Oona Airola é essencial para acreditarmos na forma como o amor que Olli Mäki nutre por Raija é capaz de mexer por completo com o protagonista, com o casal a complementar-se praticamente na perfeição e a despertar um sentimento de empatia. Jarkko Lahti consegue por imensas vezes pregar-nos uma partida ao fazer com que nos esqueçamos temporariamente que estamos diante de um intérprete a compor um personagem, com o actor a transmitir as dúvidas que assolam a mente de Olli Mäki, a evidenciar a simplicidade do antigo padeiro e a compelir-nos a acreditar neste pugilista. Diga-se que é fácil revermo-nos neste personagem, nas suas dúvidas e anseios. Quantos de nós não tivemos medo ou dúvidas em algum momento das nossas vidas? Quem nunca sentiu o fervor incontrolável do amor a circular pelas veias e a toldar por completo a nossa mente? A partir do momento em que encontramos Olli a observar Raija durante uma conferência de imprensa, percebemos que o foco deste personagem não está totalmente no evento em que vai participar e está a promover, mas sim na mulher que ama. O evento é um combate que opõe Olli Mäki a Davey Moore (John Bosco Jr.), um boxeador oriundo dos EUA, campeão em título na categoria de Peso Pena, que se desloca até à Finlândia para enfrentar o protagonista, com este acontecimento a adquirir contornos mediáticos que surpreendem o protagonista.


 A subtileza e a contenção que Juho Kuosmanen confere a "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki" são notórias não só no relacionamento do personagem do título e Raija e na espessura atribuída a estes dois elementos, mas também na forma como Davey Moore é retratado, nomeadamente, como um pugilista cordial, ou seja, que aparenta ser uma boa pessoa. "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki" não conta com um vilão, ou um antagonista feroz ao estilo de um Ivan Drago ou Clubber Lang, ou um herói maior do que a vida. É um objecto raro que prefere apostar na contenção ao invés da explosão, que concentra as suas atenções na forma como a vida privada de Olli Mäki influencia a sua carreira e vice-versa, enquanto deixa os acontecimentos fluírem de forma quase natural, coerente e credível. Essa credibilidade é concedida quer pelos motivos mencionados, quer pela qualidade do argumento, com o facto de "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki" ser inspirado em episódios e pessoas reais a adensar esse sentimento. "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki" é inspirado na história do personagem do título, um pugilista finlandês que perdeu um dos combates mais importantes da sua carreira, naquele que, como menciona o título, foi o dia mais feliz da sua vida. A 17 de Agosto de 1962, no Helsingin Olympiastadion, em plena capital da Finlândia, ocorreu o combate que opôs Olli Mäki a Davey Moore. "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki" aborda os eventos que antecederam e sucederam o combate, para além de expor, de forma ficcional, alguns trechos deste acontecimento que galvanizou uma parte considerável da Finlândia. Olli Mäki evidencia que deseja ganhar, mas o seu coração encontra-se na bancada, junto de Raija, com o protagonista a estar longe de ter o "eye of the tiger" ou de ser um "touro enraivecido". É um pugilista competente, que é capaz de fazer enormes esforços para estar em forma para o combate, expostos em diversas cenas de treino, mas é incapaz de deixar que a sua mente se desvie de Raija. Quando conhecemos Olli Mäki, o pugilista desloca-se a um casamento na companhia de Raija, na época a sua melhor amiga, com o evento a trazer ao de cima os desejos que ambos tinham contidos. Pouco tempo depois, encontramos Olli a deslocar-se até à casa de Elis Ask (Eero Milonoff), o seu manager, na companhia de Raija, tendo em vista a preparar o combate com Davey Moore. O evento vai realizar-se em Helsínquia, um espaço bem distinto de Kokkola, a cidade onde Olli nasceu e trabalhou como padeiro e boxeador, com "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki" a explanar a dificuldade que este sente ao lidar com o aparato que envolve o combate que vai decidir quem é o campeão mundial na categoria de Peso Pena.


 Enquanto se adapta a Helsínquia e ao aparato que antecede o combate, Olli apaixona-se seriamente por Raija, com Juho Kuosmanen a desenvolver a relação da dupla com um cuidado notório, enquanto concede espaço para que observemos os efeitos que este amor provoca no pugilista. Mickey, o treinador de Rocky, dizia que "as mulheres enfraquecem as pernas" dos pugilistas, algo que não se confirmou com o "garanhão italiano", ou a figura de Adrian não fosse essencial para o icónico personagem interpretado por Sylvester Stallone. Esta expressão utilizada por Mickey simboliza a necessidade dos pugilistas manterem o foco no combate, algo que Olli não consegue totalmente, embora o seu manager ainda tente que o atleta se dedique de corpo e alma a elevar o nome da nação. Elis é um dos vários elementos que pressionam o protagonista, com este a ter de lidar com a pressão do público, dos políticos e da imprensa, sendo ainda seguido por uma equipa de documentaristas, com Raija a ser das poucas pessoas que não parecem querer colocar o peso dos seus sonhos em Olli. A mente deste indivíduo enche-se de dúvidas, sobretudo quando Raija não se encontra presente, embora tenha a certeza que a ama. Oona Airola consegue evidenciar a simplicidade e afabilidade de Raija, bem como as razões que conduziram Olli a apaixonar-se, com a dupla a protagonizar alguns momentos dignos de nota. Veja-se quando encontramos Olli a transportar Raija de bicicleta, com a candura a marcar este episódio, enquanto a câmara acompanha atentamente os personagens (algo que acontece recorrentemente ao longo do filme), ou a cena em que o casal partilha alguns momentos de leveza e intimidade junto ao lago, entre outras situações que espelham a cumplicidade entre estes dois elementos. Olli ainda tenta cumprir com o plano de treino, apesar do seu foco estar em Raija, algo notório quando o encontramos a comprar as alianças de casamento em pleno dia do combate. "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki" concede alguma atenção aos treinos, seja quando o personagem do título se encontra a tentar diminuir o peso na sauna, ou a correr, ou a praticar num ringue, embora, no cerne do filme esteja uma boa pessoa que se apaixona por outra boa pessoa. É um personagem com quem nos conseguimos identificar com facilidade, que ama, erra, tem dúvidas e receios, mas também alguma coragem e talento, que procura seguir o seu instinto e ser feliz, ou seja, profundamente humano. A derrota no ringue é contrastada com a vitória no amor, com Olli a conquistar Raija e a nossa simpatia ao longo desta obra cinematográfica belissimamente filmada a preto e branco, pontuada pela subtileza e pela contenção, bem como por uma interpretação de grande nível de Jarkko Lahti, com "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki" a surgir como uma agradável e memorável surpresa.


Título original: "Hymyilevä mies".
Título em Portugal: "O Dia Mais Feliz na Vida de Olli Mäki".
Realizador: Juho Kuosmanen.
Argumento: Juho Kuosmanen e Mikko Myllylahti.
Elenco: Jarkko Lahti, Oona Airola, Eero Milonoff, John Bosco Jr.

Sem comentários: