04 abril 2016

Resenha Crítica: "Nessuno si salva da solo"

 No presente, a relação entre Gaetano (Riccardo Scamarcio) e Delia (Jasmine Trinca) atravessa uma crise que parece difícil de ultrapassar. Estes reencontram-se, após algum tempo de separação, num restaurante relativamente requintado. Arranjam-se da melhor forma possível. Ela transmite um ar impassível e frio, tendo escolhido um vestido negro que realça a sua elegância. Ele aparece de fato, pronto a evitar que tudo se afunde, ou pelo menos manter a conversa num tom amigável, embora tenha consciência que cometeu uma série de erros. Nos flashbacks, expostos com enorme regularidade, por vezes de forma redundante, ficamos a conhecer o nascimento da relação deste casal, os períodos mais apolíneos vividos por Gaetano e Delia, as discussões que mantiveram ao longo do tempo, as dificuldades que encontraram a partir do nascimento dos dois filhos, a procura que o personagem interpretado por Riccardo Scamarcio efectua para conciliar o trabalho com os cuidados prestados à família, até entrarem numa espiral descendente. As discussões aumentam, o fervor sexual de outrora parece desvanecer-se, embora pareça existir algo a ligar Gaetano e Delia. Os momentos no restaurante demonstram que Gaetano e Delia ainda se encontram demasiado marcados pelo passado quer pelos episódios mais felizes, quer pelas enormes discussões que mantiveram. Os defeitos e peculiaridades de cada um, encarados de forma relativamente cândida no início da relação, parecem incomodar e muito com o avançar do casamento, ou Delia e Gaetano não tivessem de enfrentar o desgaste que afecta quase todas as relações. Uns conseguem superar as diferenças e conjugá-las de forma a manter a estabilidade da relação, outros não atingem esse desiderato, algo que conduz a situações complicadas como aquela na qual se encontra a dupla de protagonistas. Jasmine Trinca e Riccardo Scamarcio convencem como este casal que se separou e decidiu reunir num restaurante, tendo em vista a discutir o planeamento das férias dos filhos. Talvez não tenha sido a melhor solução, sobretudo quando a conversa azeda de tom ou, muito provavelmente, até foi o espaço certo, com um casal de idade já mais avançada do que Delia e Gaetano, que observa regularmente a dupla de protagonistas, a preparar-se para ter um momento de relevo no último terço. Delia e Gaetano são os protagonistas de "Nessuno si salva da solo", a quinta longa-metragem realizada por Sergio Castellitto. O cineasta não perde tempo a expor diversos episódios relacionados com o passado destes personagens, com os flashbacks a serem mais do que muitos, algo que permite conhecermos um pouco daquilo que conduziu à separação de Delia e Gaetano. Por vezes a informação é redundante, com "Nessuno si salva da solo" a apresentar no título os propósitos daquilo que pretende exibir: "Ninguém se salva sozinho". É, sobretudo, o espectáculo de Riccardo Scamarcio e Jasmine Trinca, uma dupla que já tinha colaborado em "Il grande sogno", com o actor e a actriz a elevarem um filme que raramente sai da mediania, com Sergio Castellitto a abordar as temáticas de forma demasiado simplista, com alguns flashbacks a parecerem estender-se em demasia com informação que a espaços poderia ser exibida num simples diálogo entre os protagonistas.

 Jasmine Trinca sobressai como uma figura inicialmente algo naïve, que encontra em Gaetano alguém que a deseja e parece complementá-la, que aprecia os seus defeitos e virtudes. Delia é uma nutricionista que procura seguir uma alimentação rigorosa e apresenta um pavor enorme em relação aos germes, que conta com um problema nos dentes que é resolvido numa fase mais avançada do enredo. Gaetano é um aspirante a escritor que acaba por seguir a carreira de argumentista, algo que nem sempre lhe agrada, embora seja a opção que encontra para ganhar dinheiro. Riccardo Scamarcio incute um tom algo descontraído a Gaetano, um indivíduo com enorme apetite sexual que, gradualmente, parece afastar-se cada vez mais da sua esposa. Veja-se quando o encontramos envolvido num affair com Matilde (Marina Rocco), uma aspirante a actriz, algo revelador do quanto o protagonista mudou desde os tempos em que jurava preferir cortar as partes baixas a trair Delia. No fundo, estamos diante de uma relação que começou de forma intensa, embora a passagem do tempo, os diversos episódios vividos por Gaetano e Delia, bem como as mudanças que conheceram, acabem por exibir uma realidade dolorosa para o antigo casal: o amor que sentiam não desapareceu totalmente mas foi minado por um conjunto de situações que destruíram o matrimónio e a forma como se encaravam. O nascimento de Cosmo e posteriormente de Nico, os dois filhos do casal, parece marcar o princípio de alguns problemas entre o casal. A intimidade e o tempo livre têm de ser divididos com os filhos, os momentos de descanso são cada vez menos, o stress a espaços atinge níveis elevados, com Delia e Gaetano a parecerem discordar em relação à forma de educar os rebentos. Gaetano pretende optar por uma via mais pragmática, embora a espaços denote algum desleixo, enquanto que Delia prefere incutir um certo romantismo nas crianças. A espaços Castellitto atira com temáticas sobre os jovens que nem sempre são exploradas ao longo do enredo. Veja-se quando Cosmo começa a utilizar regularmente a roupa da progenitora, com Delia a colocar a hipótese do petiz ser homossexual, ou a própria relação entre o casal e os jovens. Num flashback, descobrimos que Delia trabalhava como nutricionista no ginásio frequentado por Gaetano, com ambos a apresentarem uma atracção mútua, ou os momentos iniciais da relação da dupla não fossem marcados por diversos momentos de sexo e emoções fortes. Delia e Gaetano cometeram erros. Ambos sabem disso. Já não podem voltar atrás, mas podem tentar recomeçar. Não sabemos se vão conseguir ficar juntos, mas também não conseguimos imaginar estes dois elementos separados para toda a vida. Gaetano alugou uma casa, enquanto que Delia continua a viver na habitação que outrora partilhara com o primeiro e os filhos, tendo a espaços o apoio da mãe, uma figura com quem sempre se relacionara mal.

 Delia é filha de pais separados, culpando em parte a sua mãe (Anna Gailena) por alguns problemas que contou ao longo da sua vida, enquanto que Gaetano mantém uma relação relativamente estável com os progenitores, embora não deixe de protagonizar algumas discussões com os mesmos. Veja-se a primeira reunião entre o casal e os pais do personagem interpretado por Riccardo Scamarcio, que corre lindamente, em contraste com uma visita desastrosa efectuada por Gaetano e Delia após terem consumado o matrimónio. Vale a pena realçar que Sergio Castellitto também lança temáticas relacionadas com os pais de Gaetano que praticamente não são desenvolvidas, nem incutem a suposta intensidade dramática pretendida, com muitas destas lacunas a serem compensadas pela dupla de protagonistas ao longo desta obra cinematográfica inspirada no livro homónimo de Margaret Mazzantini (a argumentista de "Nessuno si salva da solo"). O filme aborda ainda temas como a anorexia, com Delia a ter padecido desta doença, ou o aborto, ou os medos relacionados com a paternidade e a maternidade, embora Sergio Castellitto deixe muitas das temáticas pela rama, contando com Riccardo Scamarcio e Jasmine Trinca para elevarem a obra cinematográfica. Castellitto aproveita ainda para usar e abusar da banda sonora, que tanto contribui para provocar um belo efeito, como a espaços se revela intrusiva, algo latente no momento final, quando se pedia mais silêncio e contenção. Delia e Gaetano surgem como personagens interessantes de acompanhar, mesmo com todas as limitações apresentadas por esta longa-metragem realizada por Sergio Castellitto, com a dinâmica credível entre Jasmine Trinca e Riccardo Scamarcio a contribuir e muito para elevar "Nessuno si salva da solo". Nesse sentido, Jasmine Trinca e Riccardo Scamarcio comprovam paradigmaticamente que ninguém se salva sozinho, incluindo Sergio Castellito, com o título de "Nessuno si salva da solo" a adequar-se na perfeição ao filme.

Título original: "Nessuno si salva da solo".
Realizador: Sergio Castellitto.
Argumento: Margaret Mazzantini.
Elenco: Riccardo Scamarcio, Jasmine Trinca, Anna Galiena, Marina Rocco.

Sem comentários: