29 junho 2015

Resenha Crítica: "Older Brother, Younger Sister" (Ani imôto)

 Em "The Ballad of Narayama", uma obra realizada por Keisuke Kinoshita, o cumprimento dos valores tradicionais é considerado fundamental para a sua protagonista e para vários elementos da sociedade que a rodeiam. Nas obras de Yasurijo Ozu assistimos também muitas das vezes a um juntar da modernidade e tradição. No caso de obras de Kenji Mizoguchi, tais como "Gion no Shimai", assistimos a um tom mais crítico e denunciador de situações como o papel inferior da mulher no interior da sociedade e a falta de protecção a que estão sujeitas as gueixas. Pegando na deixa do papel da mulher na sociedade japonesa, em "Older Brother, Younger Sister" de Mikio Naruse assistimos a uma família de um espaço rural que tem de lidar com o facto de Mon (Machiko Kyō), o segundo rebento de Akaza (Reizaburô Yamamoto) e Riki (Kumeko Urabe), regressar ao território grávida. O escândalo é grande devido a esta não ser casada e o pai da criança não ter aparecido para assumir o bebé, algo ainda adensado pelos valores conservadores do território rural para o qual esta regressa. O indivíduo que engravidou Mon é Kobata (Eiji Funakoshi), um estudante universitário que apenas conhecemos mais tarde, algo que nos deixa com uma noção diferente sobre o mesmo, com Mikio Naruse a jogar com as nossas expectativas em relação aos personagens, um pouco como efectuou na representação da amante do pai da protagonista em "Wife! Be Like a Rose!". Naruse volta ainda a explorar as complicadas dinâmicas familiares, algo comum a filmes como o citado, mas também a "Inazuma", "When a Woman Ascends the Stairs", entre outros. Veja-se que Mon é desprezada por Akaza, o seu pai, bem como por Inokichi (Masayuki Mori), o seu irmão mais velho. Akaza é um indivíduo de poucas falas, amargurado em relação às mudanças que ocorreram na sua vida. Este era conhecido como um empresário de sucesso, tendo sete barcos e cerca de setenta empregados, uma situação que mudou radicalmente com as mudanças efectuadas no território. Agora limita-se a ir beber saqué com os seus antigos empregados e a esporadicamente ficar a tomar conta da loja da esposa, onde por vezes proporciona alguns momentos de humor pela forma pouco zelosa como trata os clientes. Este procura evitar falar com a filha, deixando que a mesma parta para Tóquio onde Mon deu à luz um nado-morto. Já Inokichi apresenta uma atitude violenta a nível físico e verbal para com a irmã, procurando demonstrar de forma bem viva o desprezo que sente pela mesma. Apenas Riki, a mãe desta, e San (Yoshiko Kuga), a irmã, parecem tratar Mon com algum respeito e dignidade. Riki procura manter a família unida mas nem sempre é bem sucedida neste quesito, surgindo como uma mulher relativamente calma que gere uma loja onde o pouco dinheiro que ganha é gasto pelo marido em álcool e pelo filho em divertimento com mulheres. Já San parece a mais esclarecida de toda esta família, uma jovem muitas das vezes sorridente, que tirou o curso de enfermagem graças aos fundos da irmã. San trabalha num hospital e decide adiar um possível casamento com o namorado, sendo mal-vista pela família de Taiichi (Yûji Hori), o seu pretendente, devido à má fama de Mon, com a mãe adoptiva deste último a fazer questão de salientar que a personagem interpretada por Machiko Kyō pagou o curso de enfermagem da irmã graças ao dinheiro que recebe dos homens. Taiichi pretende fugir para casar com San em Tóquio e assim evitar o casamento arranjado pela família, mas a jovem parece pouco interessada em tomar decisões precipitadas. A juntar a tudo isto temos a vinda de Kobata, um indivíduo educado que procura falar com Mon e o pai desta de forma a procurar desculpar-se pelo sucedido. Acaba por ser bem recebido por Riki e por San, embora mais tarde seja agredido por Inokichi, com este a revelar a profunda amizade que tinha pela irmã e a forma como a gravidez da mesma o desiludiu. O regresso de Mon para a época festiva traz ainda mais convulsões, com Mikio Naruse a expor-nos mais uma vez a uma família cujas tensões aumentam gradualmente com a avançar do enredo, algo que conduz à saída de pelo menos um elemento, ao mesmo tempo que nos deixa perante temáticas como a parca condição financeira dos seus protagonistas e a relevância do dinheiro no quotidiano de alguns destes personagens.

É o dinheiro de Mon que faz com que San possa estudar, bem como poder dar prendas à mãe, tal como é a falta de trabalho e de fundos que conduz a uma maior amargura de Akaza. O dinheiro de Mon advém muitas das vezes dos relacionamentos que esta mantém com os homens, uma situação que contribui para a má fama que a protagonista tem no território rural, ficando implícito que a personagem interpretada por Machiko Kyō prostitui-se para ganhar a vida. Já Inokichi faz a espaços recordar Kasuke, um dos personagens de "Inazuma", também ele o único irmão entre irmãs, um elemento irresponsável e pouco correcto nos seus comportamentos. Masayuki Mori, um actor que colaborou em duas obras-primas de Mikio Naruse, nomeadamente "Floating Clouds" e "When a Woman Ascends the Stairs", para além de ter trabalhado com cineastas como Kenji Mizoguchi e Yasujiro Ozu, consegue transmitir o quão incontrolável e violento pode ser Inokichi, sobretudo nos momentos do último terço onde discute violentamente com a irmã, uma mulher com quem mantém uma relação complicada. Inokichi não consegue suportar o facto de Mon ganhar a vida às custas dos homens, algo que condena de maneira violenta, tendo uma forma bastante estranha de mostrar a sua preocupação em relação à irmã. Mesmo a cena em que persegue Kobata é marcado por alguma tensão, com o seu interlocutor a não responder aos gestos violentos de Inokichi. Se Inokichi parece estar quase sempre em completa efervescência, já a personagem interpretada por Yoshiko Kuga exibe uma calma e ponderação que surpreendem, surgindo como mais uma protagonista feminina de Mikio Naruse que mescla no seu interior as contradições da modernidade e da tradição. Procura estudar e ser independente, embora não descure o casamento, mantendo uma relação de afinidade com a irmã e a mãe, algo que claramente nos remete para Kiyoko (Hideo Takamine), a protagonista de "Inazuma". Os dois filmes apresentam grandes semelhanças no seu enredo: o choque entre a tradição e modernidade, no caso exposto em elementos como Mon e San mas também no território rural mais associado às tradições do que a cidade de Tóquio, com o rio que separa estes dois espaços a ser exibido numa clara associação simbólica ao elemento divisório de dois territórios que não se encontram assim tão longe um do outro; os problemas financeiros e a forma como a falta de dinheiro afecta alguns dos gestos dos protagonistas; a tensão entre elementos da mesma família; personagens a beberem mais do que a conta; o papel considerado inferior da mulher (veja-se que Inokichi tem casos com mulheres consideradas pouco recomendáveis mas nem por isso é duramente criticado); a casa dos pais como local pouco acolhedor para uma das personagens femininas principais (Mon), entre outros. Diga-se que a tradição e a ligação ao passado afectam e de que maneira os personagens de "Older Brother, Younger Sister": Akaza continua amargurado em relação ao passado onde era um indivíduo respeitado com poder a nível financeiro e laboral; Inokichi não aceita as mudanças da irmã mais velha; os pais de Taiichi não querem este unido a San devido à família desta; a comemoração da festividade, para além dos exemplos já citados. No entanto, é na profundidade a explorar as relações familiares que "Older Brother, Younger Sister" mais sobressai, pese alguns momentos onde parece existir algum melodrama excessivo, com Mikio Naruse a deixar-nos diante de uma família que está longe de ser a mais unida, mas nem por isso existe um total quebrar de laços. A personagem interpretada por Machiko Kyō surge muitas das vezes como elemento essencial para disparar o gatilho para os acontecimentos, quer pela sua presença, quer pelos seus actos, com esta a procurar sobreviver da forma que pode em Tóquio, após ter sido alvo de comentários menos positivos no território onde habitava. Esta tem uma relação de relativa amizade com a irmã, com quem partilha uma longa caminhada no último terço, algo comum aos filmes de Mikio Naruse, com o cineasta a ter nos momentos exteriores, em que os personagens se encontram a falar e a caminhar pelo território e a câmara se move a acompanhá-los, alguns trechos de grande influência na narrativa. "Older Brother, Younger Sister" surge assim como um melodrama emocionalmente intenso, onde a tradição e os valores conservadores afectam e de que maneira a forma como uma mulher é vista pela sua família, enquanto Mikio Naruse volta a explorar temáticas como as relações familiares (entre irmãos e irmãs, bem como entre pais e filhos), o papel das figuras femininas na sociedade do seu tempo, o contraste entre a modernidade e a tradição, entre outras. É um melodrama competente que se desenvolve a um ritmo fluído, marcado por interpretações bastante recomendáveis e uma realização assertiva de Mikio Naruse.

Título original: "Ani imôto".
Título em inglês: "Older Brother, Younger Sister".
Realizador: Mikio Naruse. 
Argumento: Yōko Mizuki.
Elenco: Machiko Kyō, Masayuki Mori, Yoshiko Kuga, Eiji Funakoshi.

Sem comentários: