03 junho 2015

Estreias da semana - 4 de Junho de 2015

Boas tardes, caros leitores, e bem-vindos a mais um post das estreias da semana.

Saibam que a partir de amanhã, dia 4 de Junho, vão estrear nas salas de cinema portuguesas quatro filmes e três curtas metragens, tudo muito diferenciado entre si e com várias produções multinacionais.

Por exemplo, teremos o drama "Estações da Cruz", proveniente da França e da Alemanha;  o thriller "Criança nº 44", vindo do Reino Unido, Estados Unidos, Roménia e República Checa; e teremos o drama histórico "A Mulher de Ouro", que nos chega do Reino Unido e dos EUA.

Em contraste, a comédia "Spy" provém unicamente dos Estados Unidos.

Quando às curtas-metragens, são todas realizadas por Gabriel Abrantes, uma delas a meias com Benjamin Crotty, e as suas nacionalidades variam entre o francês, o português e o angolano.


Dos filmes mencionados, aquele que vou destacar em primeiro lugar é o drama "Estações da Cruz", premiado em 2014 em festivais como os de Berlim, Abu Dhabi e Edimburgo, que o Aníbal já viu e de um modo geral apreciou, tendo-lhe escrito uma crítica que termina desta maneira: «Diga-se que a devoção de Maria a espaços nos faz recordar o protagonista de "Journal d'un curé de campagne", um padre que procurava viver de acordo com os ideais religiosos, que levava uma vida de privações, de gestos e atitudes nem sempre compreendidas pelo espectador, nem por aqueles que o rodeavam, com a protagonista de "Estações da Cruz" a poder figurar claramente nestes personagens bressonianos. Maria é incompreendida pela mãe, embora procure a sua aprovação, é praticamente ignorada na escola, tendo na fé e na Igreja dois baluartes que a consomem de maneira indelével. Com uma cinematografia praticamente imaculada, "Estações da Cruz" surge como uma obra cinematográfica filmada com grande rigor, capaz de nos fazer questionar sobre o extremismo religioso e os personagens que povoam a narrativa, ao mesmo tempo que nos apresenta a Lea van Hacken, uma agradável surpresa a nível da interpretação, embora a adolescente a quem esta dá vida nem sempre seja uma figura fácil de gerar empatia

O filme foi realizado por Dietrich Brüggemann, a partir de um argumento da autoria do próprio e de Anna Brüggemann.

Lea van Acken, Florian Stetter, Franziska Weisz, Ramin Yazdani, Lucie Aron e Moritz Knapp fazem parte do elenco.

Sinopse: Maria está presa entre dois mundos. Aos 14 anos, na escola, tem os mesmos interesses de qualquer outra adolescente daquela idade, mas em casa, com a família, segue os ensinamentos católicos tradicionais da Sociedade Pio XII.

Trailer





Refira-se também a estreia da comédia "Spy" que, surpreendentemente, tendo em conta o seu género e premissa, está a agradar a crítica norte-americana.

O filme foi realizado por Paul Feig, a partir de um argumento do próprio.

O elenco de "Spy" compõe-se de vários nomes conhecidos do grande público como Melissa McCarthy, Jude Law, Jason Statham, Bobby Cannavale, 50 Cent, Miranda Hart e Rose Byrne.

Sinopse: Susan Cooper é uma simples, sedentária analista da CIA, e o herói não reconhecido por trás das missões mais perigosas da Agência. Mas quando a identidade do seu parceiro e de outro agente é comprometida, Cooper voluntaria-se para ir disfarçada infiltrar-se no mundo de um traficante de armas mortais, e evitar um desastre global.


Trailer





Chegará também às nossas salas o filme "A Criança nº 44", que apesar de ter um elenco muitíssimo talentoso não foi bem recebido nem pela crítica, nem pelo público, como se comprova pelo facto de ter sido um flop monumental, pois o seu orçamento de 50 milhões de dólares esteve longe de ser suplantado pelos, apenas, cerca de 3 milhões de receitas de bilheteira, tanto nos EUA como no estrangeiro.

A obra foi realizada por Daniel Espinosa, a partir de um argumento de Richard Price.

"Child 44" tem no seu elenco Tom Hardy, Gary Oldman, Noomi Rapace, Joel Kinnaman, Paddy Considine, Jason Clarke e Vincent Cassel.

Sinopse: Produto do sistema soviético e órfão tornado herói, Leo Demidov subiu na hierarquia do KGB, até se transformar numa estrela das investigações de actividades dissidentes. Quando ele e o sádico colega Vasil capturam Anatoly Tarasovich Brodsky, suspeito de ser um espião, este indica o nome da esposa de Leo, a bela professora Raisa, como cúmplice da conspiração. Forçado a investigar Raisa, Leo ocupa-se também do caso do corpo de um rapaz encontrado ao longo da linha de caminho-de-ferro. Apesar de pistas em contrário, Leo descreve a morte como um acidente ao pai do rapaz, o agente do KGB, Alexei Andreyev porque o estalinismo decretara que "Não há crimes no Paraíso". Quando Leo recusa denunciar a esposa, o Comandante do KGB, o Major Kuzmin exila o casal na dura cidade industrial de Volsk. Confinados a um único quarto, Leo e Raisa descobrem que outros rapazes sofreram terríveis "acidentes", todos em circunstâncias análogas...

Trailer





Outro filme que não tem despertado muita confiança da minha parte é "A Mulher de Ouro", um drama protagonizado por Helen Mirren, Ryan Reynolds e Daniel Bruühl que não tem convencido a crítica norte-americana.

O filme foi realizado por Simon Curtis, e o seu argumento escrito por Alexi Kaye Campbell.

Para além de Mirren, Reynolds e Brühl, entram ainda no elenco Frances Fisher, Katie Holmes e Max Irons.

Sinopse: Sessenta anos após ter fugido de Viena durante a Segunda Guerra Mundial, uma mulher idosa judia, Maria Altmann começa sua jornada para recuperar os bens da família apreendidos pelos nazis, entre eles o famoso quadro Retrato de Adele Bloch-Bauer I, de Gustav Klimt. Juntamente com o seu inexperiente mas corajoso jovem advogado Randy Schoenberg, Maria Altmann embarca numa grande batalha que os leva a confrontar o Estado austríaco e o Supremo Tribunal dos Estados Unidos, e que a obriga, ao longo deste processo, a confrontar-se com verdades difíceis sobre o passado.

Trailer





Realço por fim as estreias de três curtas-metragens, exibidas conjuntamente, de Gabriel Abrantes, que farão uma breve passagem pelo Cinema Ideal. As curtas, intituladas "Taprobana", "Liberdade" e "Ennui Ennui", serão reunidas pelo título "Pã, não chora não", funcionando, cada uma, como um conto.

Recordo que algumas destas obras já foram premiadas em alguns festivais internacionais, como sucedeu com "Taprobana", em Berlim, e "Liberdade", em Locarno.

Sinopse de "Taprobana": Nesta pequena comédia, Luís Vaz de Camões, o maior poeta português do Renascimento, debate-se criativamente ao engrenar num estilo de vida hedonístico, coprófago e baralhado pelo consumo de drogas. O filme acompanha o poeta, e a sua amante Dinamene, na altura em que escreve a sua obra-prima, o poema épico “Os Lusíadas”. Viaja desde a cacofonia das selvas índicas, rodeado de elefantes alegóricos e macacos que rimam, até à fronteira entre o Céu e o Inferno, onde é confrontado com a sua fantasia: a fama e a imortalidade.

Sinopse de "Liberdade": Liberdade é jovem e sonha com o futuro. A seu lado está uma bela chinesa. Mas falta uma coisa para tudo ser eternamente perfeito. Gabriel Abrantes, de novo com Benjamin Crotty, explora irónica e poeticamente um universo abatido, em que os barcos que jazem no mar não são mais do que as ossadas da actual civilização. (Miguel Valverde)

Sinopse de "Ennui Ennui": Ennui Ennui é um filme em três línguas que mistura drones, o presidente dos Estados Unidos, a troca de noivas tribal e o voluntariado ocidental, numa paródia de Gabriel Abrantes sobre o conflito militar no Afeganistão.

Trailer

Sem comentários: