14 maio 2015

Estreias da semana - 14 de Maio de 2015

Boa-noite, caros leitores, e bem-vindos a mais um post das estreias da semana.

Fiquem a saber que a partir de hoje, dia 14 de Maio, vão ser exibidos sete novos filmes nas nossas salas de cinema.

As estreias são inacreditavelmente diferentes entre si, e como de costume faremos uma breve distinção por nacionalidade, unicamente por motivos pragmáticos.

Assim, dos Estados Unidos chega-nos o blockbuster "Mad Max: Estrada da Fúria", que tem causado um furor lá fora, e a comédia "O Sapateiro Mágico", protagonizada por Adam Sandler, que tem suscitado uma reação oposta.

Chegam-nos ainda, do Canadá o thriller "Prisioneira", protagonizado por Ryan Reynolds, de França "Chique!", uma comédia bem diferente, realizada por Jérôme Cornuau, e da Rússia "É Difícil ser um Deus", ao qual daremos mais atenção alguns parágrafos abaixo.

Teremos também duas novas obras portuguesas, em concreto "Bobô", realizado por Inês Oliveira, e "Se eu fosse Ladrão... Roubava", um filme de Paulo Rocha que será incluído num ciclo com duas outras obras em versão restaurada da autoria do realizador, lançadas originalmente na década de 1960, em concreto "Os Verdes Anos" e "Mudar de Vida". Sobre esta ação também nos iremos pronunciar na continuação deste post.

Estando feitas as apresentações, fiquem agora com algumas informações essenciais sobre os filmes cujas estreias (ou reposições) merecem mais o nosso destaque.

Pela loucura que o filme tem gerado nos críticos estrangeiros, estamos particularmente curiosos para ver "Mad Max: Estrada da Fúria", o quarto filme da famosa saga protagonizada por Mel Gibson entre 1979 e 1985.

O filme foi realizado por George Miller (realizador dos anteriores filmes da franquia), através do argumento do próprio, Nick Lathouris e Brendan McCarthy.

No elenco teremos Tom Hardy ("The Dark Knight Rises"), Charlize Theron ("Prometheus"), Nicholas Hoult ("X-Men: First Class"), Riley Keough ("Magic Mike"), Zoe Kravitz ("X-Men: First Class"), Adelaide Clemens ("Silent Hill: Revelation 3D"), Rosie Huntington-Whiteley ("Transformers: Dark of the Moon"), Megan Gale ("Stealth"), entre outros.

"Mad Max: Fury Road" desenrola-se numa paisagem desértica localizada nos confins do planeta Terra, um território onde quase todos os seres humanos lutam desesperadamente pela sua sobrevivência. Existem dois rebeldes em fuga que podem ser capazes de restaurar a ordem no interior deste mundo marcado pelo sangue e o fogo: Max (Tom Hardy), um homem de acção e de poucas palavras, que procura encontrar paz interior após ter perdido a mulher e o filho. Furiosa (Charlize Theron), uma mulher de acção que acredita que o caminho para a sua sobrevivência pode ser alcançado se conseguir atravessar o deserto e regressar ao local onde cresceu.

Trailer





Há também uma iniciativa da Midas Filmes que achamos boa ideia destacar, que consiste numa homenagem ao cineasta português Paulo Rocha, um dos realizadores portugueses mais relevantes de sempre, falecido em 2012.

O facto de a iniciativa se apelidar de "Paulo Rocha: 50 Anos de Cinema" poderá suscitar a curiosidade do leitor, que estará porventura a questionar-se por que razão é que se chama "50 Anos de Cinema" quando o primeiro filme do cineasta, o relevantíssimo "Os Verdes Anos", foi lançado há 52 anos. Eu explico: é que em 2013 foi estreado um filme póstumo do cineasta no Festival de Locarno, ou seja, os cinquenta anos que estamos a celebrar decorreram entre as estreias do primeiro (1963) e do último (2013) filmes de Paulo Rocha. É verídico, leitor, estamos a celebrar os cinquenta anos que decorreram há dois anos atrás, mas ao menos estamos a celebrá-los com um número redondo.

Voltando à iniciativa, começo por destacar a estreia do último filme do cineasta, o tal póstumo, intitulado "Se eu fosse Ladrão… Roubava".

O argumento da obra foi escrito pelo próprio Rocha, em conjunto com Regina Guimarães e João Carlos Viana.

O filme tem no elenco Isabel Ruth, Luís Miguel Cintra, Chandra Malatitsch, Joana Bárcia, Carla Chambel, Raquel Dias, Márcia Breia, João Cardoso e João Pedro Vaz.

Sinopse: Este é um filme de memórias. Tendo como fundo, os Brasileiros torna viagem, acompanhamos Vitalino. Estamos nos anos vinte, um pequeno lavrador de S. Vicente vê o seu pai morrer com a peste que dizíma o País. Alguns anos mais tarde, de todos os irmãos Vitalino é o mais aguerrido e toma o lugar de homem da casa. Mas a aldeia onde vive é demasiado pequena para as suas aspirações, decide rumar ao Brasil deixando as suas irmãs encarregues dos trabalhos da casa. Em paralelismo com a história de Vitalino entramos no mundo cinematográfico de Paulo Rocha, percorrendo os seus filmes e fantasmas ao longo destes anos.



O já mencionado "Os Verdes Anos", lançado em 1963, irá ser exibido em cópia restaurada e com algumas cenas que não constaram na edição original, pois tiveram que ser retirados devido à censura, e, devido à sua importância, merece o nosso realce.

O filme foi realizado como já se disse por Paulo Rocha, e o seu argumento escrito pelo próprio Rocha e por Nuno Bragança.

Isabel Ruth, Rui Gomes, Paulo Renato, Alberto Ghira, Cândida Lacerda, Carlos José Teixeira, Harry Wheeland, Irene Dyne, Júlio Cleto, Manuel De Oliveira, Óscar Acúrcio e Ruy Furtado fazem parte do seu elenco.

Sinopse: Um rapaz de 19 anos, Júlio, vem para Lisboa a fim de tentar a sua sorte como sapateiro. No dia em que chega a Lisboa, um acidente fá-lo conhecer Ilda, uma rapariga da mesma idade, empregada doméstica num prédio perto do local de trabalho de Júlio. À medida que o filme se desenrola, vai nascendo um romance de amor entre os dois, mais forte da parte de Júlio, que ciumento, sentindo-se numa atmosfera estranha e hostil, desconfia permanentemente de Ilda, facto que a leva a romper o namoro. Num momento de cólera, impulsivo, Júlio acaba por matá-la.



Será também exibido "Mudar de Vida", outro filme da autoria do realizador, estreado originalmente em 1966. Esta versão foi restaurada digitalmente, por iniciativa do cineasta, tanto a nível de imagem como a nível de som.

O argumento do filme foi escrito por Paulo Rocha e António Reis.

Geraldo d’El Rey, Isabel Ruth, Maria Barroso, João Guedes, Nunes Vidal, Mário Santos, Constança Navarro e Jose Braz compõem o seu elenco.

Sinopse: Uma praia de pescadores, o mar que a pouco e pouco vai conquistando a terra. A luta do homem com o mar e sobretudo a luta entre a tradição e o progresso. No centro do drama estão as relações sentimentais, difíceis e quase absurdas que unem um pescador, Adelino, de regresso da guerra de África e duas mulheres, Júlia, uma mulher do mar (à moda antiga), e Albertina, uma operária misteriosa e selvagem. Voltando do Ultramar, Adelino encontra Júlia, a sua antiga namorada, casada com o seu irmão. O drama surge… Albertina, a operária, desafia-o a partir, a Mudar de Vida.

O trailer da iniciativa é o seguinte:




Realço por fim a estreia do russo "É Difícil ser um Deus", o último filme do cineasta Aleksey German, falecido em 2013, e em vida vencedor de distinções em festivais como os de Locarno, Roma e Roterdão.

O filme foi dirigido pelo citado Aleksey German, a partir de um argumento da autoria do próprio e de Svetlana Karmalita.

O seu elenco é formado por Aleksandr Ilin, Dmitriy Vladimirov, Leonid Yarmolnik, Yuriy Tsurilo, entre outros.

Sinopse: É difícil ser um deus: sobretudo se cairmos, como extraterrestres, num planeta igual à Terra, e sermos aclamados como divindades num tempo vivido há 800 anos atrás. «É diícil Ser Um Deus» pega num livro de Arkady e Boris Strugatsky e no conflito entre dois mundos – o conhecimento de toda uma evolução cognitiva e o desejo de a impor no tempo das trevas – para servir de estudo sobre a natureza humana.

Trailer

Sem comentários: