15 abril 2015

Estreias da semana - 16 de Abril de 2015

Boa-noite, caros leitores, e bem-vindos a mais um post das estreias da semana.

A partir de amanhã, dia 16 de Abril, teremos dez novos filmes nas salas de cinema portuguesas, sobre os quais me proponho a debitar brevemente, organizando-os, já agora, por motivos de pragmatismo, por género e nacionalidade.

Começo precisamente por realçar as obras portuguesas, em concreto os documentários "Outra Forma de Luta", de João Pinto Nogueira, e "Outro País", de Sérgio Treffaut (este lançado originalmente em 1990), que serão exibidos no Cinema Ideal para celebrar os 40 anos do período 1974-1975, imediatamente posterior à revolução do 25 de Abril.

Passando agora à Alemanha teremos dois dramas de época sobre o período posterior à Segunda Guerra Mundial, ambos curiosamente relacionados com o holocausto, em específico "Phoenix", de Christian Petzold, e "Labirinto de Mentiras", de Giulio Ricciarelli. Do país vizinho, da Áustria, chega-nos "Outubro Novembro", um drama de Götz Spielmann.

Dos Estados Unidos teremos o filme de ação "Noite em Fuga", no qual a família de Liam Neeson parece correr novamente perigo; a comédia "O Segurança do Shopping - Las Vegas", com Kevin James; e a comédia romântica "Amor Ocidental", realizada por David O. Russell que, mais tarde, veio a deserdar o filme, na sequência de uma paragem por dificuldades financeiras (no nome que consta nos créditos, relativo ao realizador, lê-se Stephen Greene, um pseudónimo do realizador).

Resta-nos a produção multinacional "A Promessa de Uma Vida", realizada pelo nosso amigo Russell Crowe, e  franco-italiano "O Rapaz Invisível".

Antes de mais realçamos a estreia do alemão "Phoenix", um filme de época premiado no Festival de San Sebastián que eu próprio já vi e apreciei, tendo-lhe escrito uma crítica da qual passo a transcrever de forma ilustrativa o seguinte excerto: «Há ideias inteligentes incorporadas com naturalidade na narrativa, relacionadas sobre a forma como os sobreviventes do holocausto foram recebidos pelos familiares e amigos, após a sua libertação. Longe de serem tratados com desdém, constituíam uma lembrança demasiado próxima dos horrores a que a humanidade fora capaz de recorrer. Evitavam-se fazer perguntas sobre as atrocidades dos campos pois era penoso ouvir as respostas e saber reagir de acordo com elas. Assim, não é de estranhar que, ao tentar enganar os seus conhecidos, Johnny encorajará a esposa a assemelhar-se, o máximo possível, como a mulher de antigamente. Nelly questiona-lhe sobre o sentido de aparecer, subitamente, vinda dos campos, com um penteado e maquilhagem perfeitos, e com um elegante vestido vermelho e uns sapatos de Paris. Não deveria parecer, ao invés, frágil e escanzelada? O marido responde que não; quando a forem buscar à estação de comboios, as pessoas quererão vê-la, unicamente, como a Nelly de outrora. E se lhe perguntarem sobre a sua vida nos campos, como deverá reagir? Preocupações infundadas; ninguém abordará assuntos de tão elevado grau de perturbação

O filme foi realizado por Christian Petzold, a partir de um argumento da autoria do próprio e de Harun Farocki.

"Phoenix" conta no elenco com Nina Hoss, Ronald Zehrfeld, Nina Kunzendorf, Michael Maertens, Kirsten Block, entre outros.

Sinopse: Nelly Lenz é uma sobrevivente de um campo de concentração que ficou seriamente desfigurada. Lene Winter, que trabalha para uma agência judaica, leva-a para Berlim. Após a cirurgia de reconstrução, Nelly inicia a procura do seu marido Johnny. Quando finalmente o encontra, este não a reconhece. Ainda assim ele aborda-a com uma proposta: uma vez que ela se parece com a sua mulher, que ele acredita estar morta, pede-lhe que esta o ajude a reclamar a considerável fortuna que ela deixou. Nelly concorda, e torna-se a sua própria doppelgänger – ela precisa de saber se Johnny alguma vez a amou, ou se a traiu. Nelly quer a sua vida de volta. Quanto mais semelhanças com a sua outra parte ela revela, mais desesperada e confusa a relação se torna. Será que Johnny irá confessar o seu amor? Ou a sua culpa?

Trailer






Realçamos em seguida a estreia do também alemão "Labirinto de Mentiras", também ele uma filme de época sobre o mesmo período, que o Aníbal viu e apreciou, tendo-lhe chegado a escrever uma crítica que termina da seguinte maneira: «Diga-se que ao invés de nos colocar perante repetidos depoimentos de judeus que sobreviveram e ofereceram o seu testemunho, Giulio Ricciarelli prefere antes deixar a banda sonora sobressair nestas cenas e destacar as emoções que perpassam pelos rostos dos personagens. Outro dos factores que sobressaem em "Labyrinth of Lies" passa também pela procura aparentemente sincera dos envolvidos em exporem o ambiente que rodeou todos os episódios e darem a conhecer ao público uma nação que deu por si a lidar com feridas mal cicatrizadas. Giulio Ricciarelli surge como um realizador a seguir com atenção, com o cineasta a desenvolver um thriller de pendor histórico marcado por alguma tensão, um argumento coeso, intérpretes competentes e um ritmo fluido que facilmente tornam "Labyrinth of Lies" como uma das obras mais recomendáveis da terceira edição da Judaica - Mostra de Cinema e Cultura, a par de "Félix e Meira" e "Gett: O Processo de Viviane Amsalem".»

O filme foi realizado pelo italiano Giulio Ricciarelli, e foi feito a partir de um argumento da autoria do próprio e de Elisabeth Bartel.

O elenco de "Labirinto de Mentiras" compõe-se de Alexander Fehling, André Szymanski, Friederike Becht, Hansi Jochmann, Johannes Krisch, entre outros.

Sinopse: Os julgamentos de Auschwitz em Frankfurt começaram há cerca de 50 anos, foram os primeiros julgamentos pelo estado alemão às atrocidades cometidas na Segunda Guerra Mundial. Este filme procura narrar a história destes julgamentos, quando a sociedade alemã queria esquecer o passado.


Trailer





Da Áustria chega-nos o drama "Outubro Novembro", uma obra escrita e realizada por Götz Spielmann, um cineasta premiado numa diversidade de festivais em 2008 por "Revanche".

No elenco do filme constam Johannes Zeiler, Samuel Finzi, Sebastian Hülk, Sebastian Koch, entre outros.

Sinopse: Numa pequena vila nos Alpes Austríacos há um hotel, agora encerrado. Duas irmãs cresceram lá.
Sonja agora vive em Berlim. Ela tornou-se numa atriz muito bem sucedida, uma estrela de TV, mas algo parece estar a faltar na sua vida. Ela não se aproxima emocionalmente das pessoas, como forma de proteção.
A sua irmã Verena, que é um pouco mais velha, nunca saiu da aldeia. Após a morte da mãe delas num acidente, ela, o marido e o filho mudaram-se para o antigo hotel, que é muito grande para eles. Mas as necessidades de Verena não são tão modestas como isso pode sugerir.
O pai das duas irmãs também ainda vive no antigo hotel. Ele sofre um ataque cardíaco, que o deixa quase morto, mas ele sobrevive ficando muito doente.
Sonja vai visitar a sua família, e rever os locais da sua infância. Um novo capítulo começa, relacionamentos antigos são reconfigurados.



Trailer







Além destas obras irá estrear ainda o drama histórico "A Promessa de Uma Vida", que marca a estreia do ator e vocalista Russel Crowe na realização de uma longa metragem, curiosamente envolvida nalguma polémica devido à sua questionável representação do período histórico em que se insere a narrativa.

O argumento do filme foi escrito por Andrew Knight e Andrew Anastasios. 

"A Promessa de Uma Vida" conta no elenco com Jai Courtney, Olga Kurylenko, Russell Crowe, Ryan Corr, Jacqueline McKenzie, entre outros.

O enredo "The Water Diviner" desenrola-se em 1919, e acompanha Connor (Crowe), um agricultor australiano que viaja para a Turquia, tendo em vista a localizar os corpos dos seus três filhos, que desapareceram na Batalha de Gallipoli. Connor forma uma relação com uma bela mulher turca (Kurylenko), que possui o hotel onde este reside. Courtney vai dar vida ao Tenente-Coronel Cecil Hilton, um soldado inteligente e eficiente, que é destacado para organizar a missão de identificar os corpos dos soldados falecidos. Este aceita, ainda que relutantemente, que Connor procure os seus filhos.

Trailer





Realçamos por fim o filme de ação trimestral protagonizado por Liam Neeson, concretamente "Noite em Fuga", que, para não variar, parece ter agradado mais ao público do que à crítica norte-americana.

A obra foi realizada por Jaume Collet-Serra e o seu argumento escrito por Brad Ingelsby.

Sinopse: Jimmy Conlon, um mafioso de Brooklyn e prolífico assassino em tempos conhecido como "The Gravedigger", já viu melhores dias. Amigo de longa data do chefe da máfia Shawn Maguire, Jimmy, atualmente com 55 anos, é perseguido pelos erros do seu passado – e por um obstinado detetive da polícia, que o procura há 30 anos.
Mas quando o seu filho, Mike, se torna um alvo a abater, Jimmy vai ter de escolher entre a família criminosa que elegeu, e a sua verdadeira família que abandonou há muitos anos atrás. Com Mike em fuga, a penitência para os crimes do passado de Jimmy, parece ser agora a de proteger o filho de um destino, que provavelmente será o seu... ficar do lado errado de uma arma. Sem ninguém em quem possa confiar, Jimmy tem apenas uma noite para perceber quem são aqueles que lhe são realmente leais, e para tentar, finalmente, fazer aquilo que está correto.

Trailer

Sem comentários: