05 março 2015

Resenha Crítica: "Make Hummus Not War" (Faça Hummus, Não Guerra)

 Num tom algo informal, bem humorado e capaz de abordar temáticas sérias com uma enorme leveza, "Make Hummus Not War" remete-nos para o conflito entre o Líbano, Israel e a Palestina sobre a origem do hummus, um prato típico do Médio Oriente, feito à base de grão-de-bico cozido e espremido, tahini, azeite, sumo de limão, sal e alho. Qual a origem do húmus? Os Libaneses afirmam que é do seu país, os Israelitas também e os Palestinianos vão no mesmo caminho. Estas são nações em conflito, não tendo problemas em efectuar acusações de parte a parte, embora estejam unidas pelo gosto em relação ao hummus. Também Trevor Graham, o realizador do documentário, é um adepto deste prato, desde que conheceu uma jovem judia na sua juventude com quem manteve uma relação amorosa que falhou passado algum tempo, procurando embrenhar-se por estes três países, enquanto entrevista várias pessoas, apresenta-nos episódios algo caricatos e exibe que os conflitos seriam muito melhores se ficassem apenas pelo campo gastronómico. O caso extrapola e muito a esfera política, cultural e social, existindo todo um interesse económico, com o facto de Israel ter começado a exportar este prato como se tivesse sido inventado no país a ter permitido uma maior valorização a nível de mercado ao produto, algo que gerou alguma comoção no Líbano, uma situação que fica latente no discurso de Fadi Abboub, Ministro para o Turismo deste país, uma voz activa na disputa pela origem do hummus. Fadi Abboub é um dos vários elementos que presta depoimento ao longo de "Make Hummus Not War", enquanto Trevor Graham deixa-nos perante alguns elementos sobre as fundações destas nações e dos conflitos e rivalidades entre as mesmas, sempre num tom muito particular, mesclando pelo meio assuntos sobre a sua vida pessoal que o levaram a interessar-se pela temática e a ser um fã de hummus. Diga-se que este é um documentário que nos faz despertar o apetite, com Graham a viajar pelo Líbano, Israel e Palestina, onde visita alguns restaurantes e prova os diversos pratos de húmus, com cada elemento a salientar que o seu é o melhor. Existe algum humor e leveza nos discursos, algo visível em elementos como Meir Micha, o dono do Restaurante Pinati em Israel, Ghaleb Zhadeh, o dono do Lina Café na Palestina, ou Ruth Tavour, a co-proprietária do Hummus Ashkara, um restaurante de Tel Aviv, entre outras figuras que povoam o documentário. Ruth chega a salientar que pouco se interessa sobre a origem do hummus, interessando-se mesmo é em cozinhar o mesmo e vender o "melhor" da região. Já elementos como o citado Fadi Abboub, ou Hanan Daoud Khalil Ashrawi, uma legisladora conhecida pelo seu trabalho na Organização para a Libertação da Palestina, parecem levar o caso mais a sério, encarando-o quase como uma afronta por parte de Israel. Este conflito conduziu a que, em Janeiro de 2010, Israel preparasse um prato gigante de hummus para bater um record no guiness, ultrapassando o record estabelecido pelo Líbano. Por sua vez, os Libaneses não se quiseram ficar atrás, pelo que em Maio de 2010, em Al-Fanar, elaboraram um prato que duplicou o tamanho daquele que fora apresentado pelos israelitas. É um conflito que ganha contornos caricatos e políticos, embora seja bem mais saudável esta disputa do que aquela efectuada com armas e violência.

 Todo o tom do documentário vai exactamente ao encontro do título "Faça Hummus, Não Guerra", com Trevor Graham, um cineasta australiano, a parecer acreditar no poder deste prato para despertar "o amor" entre nações em conflito. O cineasta apresenta sempre um tom muito pessoal, não tendo problemas em expor alguns antigos casos amorosos, reunir imagens de filmes épicos que lhe deixaram marca, ao mesmo tempo que nos deixa perante uma temática interessante, exposta de forma divertida e leve, sem fugir aos elementos políticos ainda que o propósito principal seja sempre o hummus. Não só o hummus mas também aqueles que ganham a vida a cozinhar, apreciar e estudar o mesmo, com o documentário a expor que existe algo que reúne todos estes elementos: o gosto por este prato típico do Médio Oriente. Pelo meio percebemos que existem interesses comerciais por parte dos vários envolvidos, com a exportação de hummus fabricado de forma industrial por parte de Israel a surgir como um negócio cada vez mais em expansão, algo que certamente também agradaria a outras nações. No seu comentário relacionado com a elaboração do documentário, Trevor Graham comentou "I wanted to make a charming portrait, without taking sides, to examine the hummus conflict in Israel, Lebanon and Palestine from the point of view of these peoples' first shared love: chickpeas. Humour from both sides of the 'plate' was the number one ingredient". Não falta humor ao documentário, mas também uma procura em explorar as origens do hummus, as relações complicadas entre as nações, sempre com uma enorme leveza que não deve ser confundida com falta de conteúdo. É que neste tom leve, meio a brincar, Trevor Graham acaba por expor que uma disputa pela origem de um prato gastronómico logo ganha proporções gigantescas perante estas nações, ao mesmo tempo que nos deixa diante de um documentário marcado por depoimentos diversificados que enriquecem e muito "Make Hummus Not War". Diga-se que estes comentários são mesmo essenciais, algo que permite vermos o empenho dos donos dos restaurantes, o trabalho dos políticos, mas também algum ressentimento de parte a parte, enquanto o cineasta questiona se o hummus pode ser a receita para a paz no Médio Oriente. É provável que não, mas não deixaria de ser aprazível ver todos os conflitos resolvidos à mesa perante um bom prato de hummus, ao invés de confrontos violentos que não levam a lado nenhum e perpetuam-se no tempo sem solução à vista. Como salienta o título do documentário, dediquem-se a fazer hummus e não a guerra, todos sairiam a ganhar com isso. Marcado por bom humor e depoimentos interessantes, "Make Hummus Not War" apresenta-nos às disputas pela origem da receita do título, mas também a três nações em conflito, sempre com algum optimismo e muito amor pelo hummus.

Título original: "Make Hummus Not War". 
Realizador: Trevor Graham.

Sem comentários: