01 julho 2014

Resenha Crítica: "Shaolin Soccer" (2001)

 Com uma história marcada por vários momentos nonsense bem ao estilo de Stephen Chow, "Shaolin Soccer" revela-se um pedaço de entretenimento saudavelmente louco e hilariante, transformando os relvados de futebol em palcos marcados pelas habilidades mais mirabolantes, onde não falta muito kung fu, humor, acção e até algum drama. O enredo é bastante simples, valendo sobretudo pelo estilo incutido por Stephen Chow, enquanto este nos apresenta a uma peculiar equipa de futebol que é maioritariamente formada por antigos especialistas em kung fu Shaolin. Um desses especialistas é Sing (Stephen Chow), um indivíduo que ganha a vida a recolher lixo, que encontramos nos momentos iniciais do filme a procurar mostrar os benefícios que o conhecimento de Kung Fu pode trazer para as actividades quotidianas. É no início do filme que Sing conhece Fung (Man Tat Ng), uma antiga vedeta de futebol conhecida como "Perna Dourada", cuja carreira sofreu um enorme revés ao falhar propositadamente um penalty decisivo, tendo sido atacado por adeptos que o deixaram coxo de uma perna. Este acto violento cometido pelos supostos adeptos foi efectuado a mando de Hung, um antigo companheiro de equipa de Fung, hoje dono do "Team Evil", onde o personagem interpretado por Man Tat Ng é treinador adjunto. Fung é sujeito a várias humilhações por parte do proprietário do clube, sendo expulso por este último após ter demonstrado a ambição de assumir o cargo de treinador principal. Tudo parecia correr mal a Fung e Sing, algo que muda quando o primeiro vê no segundo uma habilidade inata para jogar futebol, após este ter chutado uma lata que ficou presa num muro localizado a uma grande distância. Sing gosta da ideia de juntar kung fu e futebol, começando a reunir vários elementos peculiares que estiveram consigo no templo, entre os quais o "Cabeça de Ferro" (o protagonista tem a alcunha de “Perna de Aço”), um elemento com quem este chegou a trabalhar num bar. Os vários elementos que formam inicialmente a equipa treinada por Fung são figuras algo falhadas, que pouca noção têm do que é o futebol, sendo humilhados num encontro amigável contra uma equipa de "sarrafeiros". No entanto, estes logo acabam por mudar o rumo do encontro e merecer o respeito do adversário, expondo o seu talento, granjeando novos membros, conseguindo inscrever-se no Torneio Nacional da Super Cup, onde se preparam para enfrentar vários adversários peculiares (incluindo mulheres barbudas) e o temível Team Evil. Os jogos são marcados pelas habilidades mais mirabolantes, não faltando roupa rasgada com a potência de um remate, saltos humanamente impossíveis, pontapés de bicicleta, defesas improváveis, com tudo a parecer saído directamente de "Captain Tsubasa". Durante uma entrevista à revista Premiere, Stephen Chow confessou a inspiração em "Captain Tsubasa", algo visível ao longo do filme, com este a apresentar um conjunto de jogadas irrealistas mas nem por isso menos agradáveis de se acompanhar, ao longo da típica história dos underdogs que procuram vencer contra todas as expectativas.

Stephen Chow tem um certo gosto por personagens peculiares, algo visível em obras como "From Beijing With Love" ou o mais recente "Journey to the West", tendo em "Shaolin Soccer" um filme onde não faltam figuras algo à margem da sociedade. O próprio protagonista é uma figura que dificilmente parece encaixar-se no seu tempo. Com um visual pouco cuidado, fã de Bruce Lee, ténis rotos, Sing tem uma enorme força nos seus pés e uma grande habilidade para o kung fu, mexendo com todos à sua volta, incluindo com Mui (Vicki Zhao), uma padeira marcada por forte acne na cara, que utiliza técnicas de kung fu para confeccionar os seus deliciosos pãezinhos. Sing inicialmente apenas quer formar amizade com esta, mas Mui logo se começa a apaixonar pelo protagonista, gerando-se uma relação bastante peculiar onde adivinhamos ter sido complicado para ambos os actores gravarem as cenas sem se rirem imenso pelo caminho (não faltam momentos como esta a colocar remendos com bonecos nas chuteiras de Sing). Vale a pena realçar que "Shaolin Soccer" não descura a apresentação e desenvolvimento dos vários personagens secundários, incluindo Mui e os vários elementos da equipa de Sing, para além de explorar eficazmente a rivalidade entre Hung e Fung, sempre sem perder o tom marcado pelo bom humor que permeia a narrativa. Chow acerta em vários momentos de humor, embora por vezes caia em alguns exageros, mantendo-se fiel a um estilo bastante próprio, pronto a não se levar muito a sério, despertando imensos risos pelo caminho. Se o humor é algo que maioritariamente resulta ao longo do filme, o mesmo se pode dizer dos jogos de futebol, sobretudo a final da Super Cup, onde não falta muita emoção, alguns risos, muitas habilidades e enorme tensão. Por vezes fica a ideia que a banda sonora se torna algo intrusiva, embora não destoe por completo da atmosfera irreverente deste filme marcado por muito CGI, personagens peculiares, jogos emotivos e muito humor. A história é a típica dos underdogs que procuram triunfar contra todas as expectativas, mas explorada com enorme eficácia por Stephen Chow, que pontua a mesma de elementos dos wuxia, filmes de guerra, romance, comédia slapstick e até musicais, envolvendo-nos num pedaço de cinema tão peculiar como os seus personagens. 

Título original: "Siu lam juk kau".
Título em inglês: "Shaolin Soccer".
Realizador: Stephen Chow.
Argumento: Stephen Chow e Tsang Kan-Cheung.
Elenco: Vicky Zhao, Ng Man-tat, Patrick Tse, Danny Chan Kwok Kwan.

Sem comentários: