07 julho 2014

Resenha Crítica: "Macao" (1952)

 A cidade de Macau surge representada com enorme beleza, exotismo, mistério, insegurança e muitos perigos em "Macao", o penúltimo filme realizado por Josef von Sternberg. Sem Marlene Dietrich, mas com Jane Russell e Gloria Grahame, Josef von Sternberg elabora um filme noir marcado por vários elementos deste subgénero, não faltando a utilização do chiaroscuro, os personagens de carácter dúbio, algum cinismo, identidades trocadas, o espaço citadino inseguro, as autoridades corruptas, mas também uma espécie de femme fatale e um protagonista bastante pragmático, pronto a disparar falas irónicas e a seduzir a principal personagem feminina. Este protagonista é Nick Cochran, um indivíduo que em Macau pensam estar no local para investigar o assassinato de um polícia de Nova Iorque, chegando na mesma embarcação que Julie Benson (Jane Russell), uma cantora de clubes nocturnos, e Lawrence Trumble (William Bendix), um suposto vendedor. Na embarcação, Nick logo defende Julie, roubando-lhe um beijo e trocando algumas falas sardónicas, com ambos a partilharem algum cinismo em relação aos relacionamentos humanos. Já Trumble é o indivíduo falador e simpático, que não parece intrigar ninguém, embora mais tarde até descubramos que este é que é um elemento da polícia que procura deter Vincent Halloran (Brad Dexter), o dono do maior casino do local, um homem com vastas ligações, incluindo junto das autoridades e no mundo do crime de Macau. Halloran choca de frente com Nick, pensando que este último é um agente que o pretende colocar fora de Macau para poder ser detido, oferecendo uma vasta quantia para que o personagem interpretado por Robert Mitchum abandone o local. Robert Mitchum atribui a dureza e cinismo necessários ao seu personagem, expondo de forma convincente as falas mordazes do mesmo, enquanto continua a lidar com as consequências dos seus problemas no passado, tentando fugir aos contratempos em Macau e seduzir Julie. Esta acaba por ir trabalhar para o casino de Vincent Halloran, como cantora, algo que desperta os ciúmes de Margie (Gloria Grahame), uma mulher que se encontra envolvida com o personagem interpretado por Brad Dexter. O criminoso parece controlar tudo e todos em Macau, incluindo Sebastian (Thomas Gomez), um polícia corrupto que o ajuda a contornar a lei, enquanto Nick acaba por inadvertidamente ver-se envolvido na procura das autoridades em capturarem Halloran, com a sua vida a ficar em perigo ao longo deste filme noir marcado pelo exotismo de Macau e a realização cuidada de Josef von Sternberg. 

Sternberg foi afastado no decorrer das filmagens pelo produtor Howard Hughes, tendo entrado para o seu lugar o não menos competente Nicholas Ray, embora muito do filme pareça ter do estilo do primeiro. A começar pela composição dos cenários interiores, tais como o casino e as divisórias do hotel de Julie e Nick, mas também na exposição dos cenários exteriores, tais como as ruas cheias de habitantes, a presença dos riquexós, as docas de Macau, os seus espaços rodeados pelo mar, entre outros. Nos cenários interiores, sobressai a paradigmática utilização do chiaroscuro, com Josef von Sternberg a efectuar mais uma vez um assertivo jogo de luz e sombras, enquanto cria uma aura de incerteza a rodear os seus personagens. Nick é o elemento que mais sobressai, como este protagonista típico dos filmes noir, com Robert Mitchum a não descurar ainda uma faceta mais leve do seu personagem, tendo supostamente contribuído para alguns dos diálogos do mesmo, após a entrada em cena de Nicholas Ray. Não é apenas Mitchum que se destaca. Veja-se Jane Russell como esta cantora sedutora, que muito tem das personagens femininas dos filmes noir, mas também das mulheres dos filmes de Sternberg, não faltando os números musicais e a capacidade desta em atrair os homens. No entanto, não é uma mulher completamente desprovida de moral, bem pelo contrário, encontrando-se, tal como o protagonista, marcada pelos episódios do passado, enquanto Jane Russell "desfila" sensualidade pelo grande ecrã, com o seu guarda-roupa a contribuir para esta situação. Esta forma uma boa dupla com Robert Mitchum, destacando-se ainda no elenco elementos como Brad Dexter como o influente dono de um casino e contrabandista, bem como William Bendix como o falador Trumble, um elemento que esconde alguns segredos que vão sendo revelados ao longo da narrativa. Pelo meio encontramos algumas reviravoltas, enquanto os personagens procuram cumprir os seus intentos e satisfazerem os seus desejos. Estes personagens movem-se muito por impulsos, algo visível em Nick e Julie, com estes a deslocarem-se para Macau sem aparente objectivo, deixando-se levar pelo destino, sem grande rumo mas com um desejo latente de viver. As trocas de diálogos entre estes personagens surgem como alguns dos melhores momentos do filme, bem como quando temos Nick e Vincent em confronto, com o enredo de "Macao" a desenrolar-se a um ritmo adequado, enquanto a cidade do título facilmente se torna num local claustrofóbico e recheado de perigos. Josef von Sternberg mescla os elementos típicos dos filmes noirs com o exotismo de Macau, criando um filme noir competente, marcante e envolvente.

Título original: "Macao".
Título em Portugal: "Macau".
Realizador: Josef von Sternberg. 
Argumento:  Stanley Rubin, Bernard C. Schoenfeld, Robert Mitchum.
Elenco:  Robert Mitchum, Jane Russell, William Bendix, Gloria Grahame.

Sem comentários: