07 julho 2014

Resenha Crítica: "The Devil is a Woman" (1935)

 Última colaboração entre Marlene Dietrich e Josef von Sternberg, "The Devil is a Woman" coloca a actriz a interpretar novamente uma mulher sedutora que facilmente encanta os homens e é capaz de os manipular. Em certo sentido remete para a protagonista de "Der Blaue Engel", uma vamp sedutora que conquista Immanuel Rath (Emil Jannings) e gera neste uma enorme obsessão, até este último cair em desgraça. No caso de "The Devil is a Woman", Marlene Dietrich dá vida a Concha Pérez, uma mulher sedutora que coloca dois amigos em confronto, ao longo desta história que se desenrola no início do Século XX, em Espanha, durante a semana de Carnaval (algo que permite a Sternberg criar mais uma vez um conjunto de cenários requintados). No início do filme encontramos esta mulher com uma máscara a tapar parte da sua cara, algo que lhe atribui algum mistério, durante uma festa carnavalesca, onde conhece Antonio Galvan (Cesar Romero), um jovem republicano e revolucionário a quem dá a sua morada para se encontrarem. Antonio encontra-se posteriormente com Don Pasqual (Lionel Atwill), um antigo militar e elemento de elevadas posses financeiras que o avisa para se afastar de Concha. Numa longa série de flashbacks, somos apresentados à personalidade imoral de Concha e ao seu efeito junto dos homens, em particular em Pasqual, com este a relatar-nos, do seu ponto de vista, os momentos em que lidou com a personagem interpretada por Marlene Dietrich. Concha enganou-o, humilhou-o, mostrava pouco interesse em manter uma relação séria, mas este continuava a cair no canto da sereia, emprestando-lhe dinheiro (e à interesseira mãe de Concha), mostrando fraqueza, deixando-se seduzir por esta sem conseguir sair da teia que esta criou, até Pasquale cair em desgraça. Antonio fica avisado desta situação, mas nem por isso deixa de se envolver com Concha, algo que promete perturbar a relação entre estes dois homens, ao longo de uma narrativa onde Josef von Sternberg volta a elevar uma história aparentemente banal com uma realização inspirada. Consta que o feitio irascível do cineasta e o seu perfeccionismo conduziram a alguns problemas no set, incluindo a saída de Joel McCrea, que iria interpretar Antonio, embora Cesar Romero cumpra como este indivíduo que cai na teia de sedução da protagonista. Também Lionel Atwill tem uma interpretação bastante recomendável, interpretando com acerto este indivíduo que deseja a protagonista, apesar de não conseguir que esta o ame.

 Embora o argumento e Josef von Sternberg tirem algum mistério à personagem em grande parte devido aos vários flashbacks que expõem em demasia a sua personalidade e actos passados, chegando até a tornarem-se redundantes, Marlene Dietrich atribui uma sensualidade muito própria à mesma, colocando-a como uma sedutora de homens que facilmente busca os seus intentos. Diga-se que nem se parece esforçar muito, com Don Pasqual a facilmente cair nos jogos desta, algo que também acontece com Antonio, ao longo de um enredo bastante simples, que sobressai bastante devido à cuidada cinematografia e ao desempenho da protagonista. Josef von Sternberg e Marlene Dietrich já nos deram muito melhor do que "The Devil is a Woman", embora estejamos perante um drama marcado por alguma sensualidade e erotismo, onde o desejo parece toldar o pragmatismo dos homens e uma mulher se revela aparentemente fria a manipulá-los. Parece apaixonar-se por Antonio, embora também não descure o relacionamento com Pasqual quando necessita, enquanto Marlene Dietrich desfila classe. Desde o guarda-roupa, passando pela maquilhagem, tudo se conjuga para Dietrich deslumbrar, mesmo quando os diálogos não convencem. Esta adaptação cinematográfica do livro "La Femme et le pantin", de Pierre Louÿs, conta com argumento de John dos Passos (embora tenha sido completo por Sam Winston), um famoso escritor, embora a obra não sobressaia pelo trabalho deste, mas sim pela atmosfera envolvente criada por Josef von Sternberg, com este a remeter-nos para um enredo que parece muito ter de pessoal, com a obsessão de Pasqual a poder simbolizar o relacionamento entre o cineasta e Marlene Dietrich. Este seria supostamente o filme que marcaria o regresso da dupla ao sucesso, após o desastre de bilheteira de "The Scarlet Empress", mas ao invés disso conheceram o inglório desprezo do público e de alguns sectores da crítica. No entanto, a última colaboração entre Dietrich e Sternberg sumariza relativamente bem as sete obras cinematográficas que resultaram desta parceria, não faltando a obsessão e o desejo, algum erotismo, uma protagonista sensual, mas também uma enorme reverência do cineasta para com a sua protagonista, visível como a expõe diante do espectador. 

Título original: "The Devil is a Woman". 
Título em Portugal: "O Diabo é Uma Mulher". 
Realizador: Josef von Sternberg.
Argumento: John dos Passos e Sam Winston.
Elenco:  Marlene Dietrich, Lionel Atwill, Cesar Romero.

Sem comentários: