14 junho 2014

Resenha Crítica: "The Lady From Shanghai" (1947)

 Michael O'Hara (Orson Welles) certamente não esperaria que o acto heróico de defender Elsa (Rita Hayworth) de um grupo de rufias lhe iria trazer tantos problemas. Marinheiro cínico, que outrora eliminara um espião que trabalha para Franco em Espanha, Michael tem em Elsa uma mulher fatal que atrai de imediato a sua atenção, uma loira sensual, misteriosa e difícil de decifrar. Elsa é casada com um famoso advogado de defesa, Arthur Bannister (Everett Sloane), um indivíduo que anda de bengala, frio, que sabe um conjunto de segredos sobre o passado da personagem interpretada por Rita Hayworth que esta certamente quererá esconder. Elsa estivera em Xangai, uma cidade onde Michael também trabalhara, com este a surgir como uma homem viajado, que já andou por Espanha, Macau, China, entre outros locais. Michael é convidado por Arthur a trabalhar como contramestre no seu iate, após Elsa ter convencido o esposo dos benefícios da sua presença, algo que o protagonista reluta em aceitar, mas acaba por ceder. Estes dirigem-se para a costa oeste, pelo canal do Panamá, passando pelo caminho pelas Antilhas e por Acapulco. Junta-se ainda George Grisby (Glenn Anders), um sócio de Arthur, e Sydney Broome (Ted de Corsia), um detective contratado por Bannister para vigiar a esposa e o personagem interpretado por Orson Welles. Aos poucos, Michael vai-se deixando seduzir por Elsa, embora despreze a frivolidade do estilo de vida dos elementos que habitam o iate, tendo numa proposta de George um momento que promete mudar a sua vida. George oferece uma maquia elevada a Michael para que este assine um papel a confessar o assassinato do primeiro, de forma a que este consiga mudar de identidade e fugir, recebendo ainda uma quantia do seguro, enquanto o protagonista ficaria livre devido a uma brecha na lei daquele tempo que não permitia a prisão de um indivíduo se o corpo não fosse encontrado. Claro que o plano não corre de forma tão linear e o protagonista acaba por se ver envolvido num caso de assassinato, algo que o deixa a braços com a lei e a sua vida em perigo ao longo de "The Lady From Shanghai", um dos filmes noir mais marcantes da história do cinema e uma das grandes obras de Orson Welles.

Tendo como base o livro "If I Die Before I Wake" de Sherwood King, "The Lady From Shanghai" inquieta-nos e inebria-nos para este universo narrativo marcado pelo mistério e dissimulação, onde nada é paradigmaticamente linear, enquanto o amor fica envolvido pelas sombras destas almas inquietas. Michael até parece o indivíduo moralmente mais elevado, embora também cometa os seus erros. Interpretado eficazmente por Orson Welles, que realiza, protagoniza e ainda escreve o argumento do filme, Michael cai no canto da sereia da femme fatale interpretada por Rita Hayworth, com esta a surgir encantadora e sensual como poucas actrizes surgiram no grande ecrã, incutindo na sua personagem uma dubiedade latente, variando entre um lado frágil e outro traiçoeiro, com o seu corpo divinal a esconder uma negritude de valores que gradualmente vão sendo revelados. Temos ainda elementos como Everett Sloane que conseguem sobressair ao longo deste filme noir que figura entre os mais bem conseguidos do subgénero, contando com vários elementos associados ao mesmo. Não falta a narração em off, a femme fatale (no caso, Rita Hayworth), os personagens moralmente duvidosos, o protagonista cínico, uma utilização sublime das sombras, evidenciado no aquário onde Michael e Elsa se encontram às escondidas e até na cena em tribunal onde as sombras dos estores simbolizam as grades da prisão. O trabalho notável com a câmara surge ainda exposto nos momentos finais, com o jogo de espelhos a revelar-se inquietante e até a expor uma certa compartimentação dos personagens, que podemos associar às suas personalidades e comportamentos complexos. Diga-se que as grades às quais os personagens se encontram presos são mesmo as da imoralidade, prometendo culminar em desgraça para vários dos envolvidos, com Orson Welles a permear a obra de um cinismo notório, típico dos filmes noir, representando em parte uma mudança da sociedade no pós-Guerra. Apesar do resultado final de "The Lady from Shanghai" ser bastante acima da média, Orson Welles contou com uma série de imprevistos, tendo de ser obrigado a cortar várias cenas por ordem expressa do estúdio, algo que reduziu e muito a cena dos espelhos do último terço, que se previa poder vir a ter cerca de vinte minutos, entre outras contrariedades devido ao facto do cineasta não ter direito à montagem final do filme. Marcado por uma atmosfera negra, dissimulação, crime e sentimentos dúbios, "The Lady From Shanghai" inebria-nos para esta inquietante história, onde o desejo nem sempre conduz às melhores escolhas e um marinheiro aventura-se pelo oceano negro da alma humana.

Título original: "The Lady From Shanghai". 
Título em Portugal: "A Dama de Xangai". 
Realizador: Orson Welles. 
Argumento: Orson Welles, William Castle, Charles Lederer, Fletcher Markle.
Elenco: Rita Hayworth, Orson Welles, Everett Sloane, Glenn Anders.

Sem comentários: