30 abril 2014

Resenha Crítica: "Under the Skin" (Debaixo da Pele)

 Se a atmosfera inquietante, acompanhada por um trabalho de som inebriante e o aproveitamento eficaz das cores frias e invernais da Escócia sobressaem em "Under the Skin", o mesmo se pode dizer do seu argumento risível, incapaz de explorar e aproveitar as temáticas que lança. O filme realizado por Jonathan Glazer tem sido destaque pelas cenas de nudez integral de Scarlett Johansson, embora o que fica muitas das vezes latente são as suas limitações para a interpretação, enquanto dá vida a uma predadora extraterrestre que elimina os homens que seduz, pelo menos até conhecer um homem deformado que mantém com vida, indo contra as regras da sua raça. Começa a experimentar emoções e gestos humanos, embora Scarlett Johansson convença mais como sedutora do que quando tem de mudar de registo, apesar do argumento não a ajudar. As razões para a chegada desta à Terra e apropriação de um corpo belo nunca são reveladas, tal como os seus actos de eliminar homens também não são explorados (embora as cenas tenham alguma bizarra poesia), parecendo existir de Jonathan Glazer a noção de que uma atmosfera opressora chega para tudo, embora fique claro que não sustenta uma narrativa com cerca de uma hora e quarenta minutos. Procura dar um tom enigmático à sua protagonista e à narrativa, mas acaba por esbarrar nas suas pretensões, pensando ter um filme mais inteligente do que realmente é, fazendo-nos pelo caminho suspirar de saudade por um "Invasion of the Body Snatchers" na versão de Don Siegel. Era mais eficaz na abordagem de uma temática semelhante, tinha mais conteúdo e não vinha acompanhado por um falso enigmatismo que soa a desculpa para não dar uma história minimamente coesa, quando o que nos dá é mesmo algo de redundante, onde assistimos a Scarlett Johansson a conduzir muito e a praticar vários assassinatos numa rotina repetitiva, enquanto interpreta uma versão de si própria. Deixa muito pelo poder de sugestão, mas o que exibe também nem sempre convence, a começar pelos diálogos, incapazes de se destacarem, enquanto as personalidades daqueles que circundam a personagem interpretada por Scarlett Johansson pouco ou nada são explorados, sendo tudo demasiado frio para que geremos alguma empatia pela extraterrestre e as suas vítimas. No entanto, vale a pena realçar o trabalho de fotografia, capaz de aproveitar os nevoeiros e os cenários naturais da Escócia, mas também uma procura em criar toda uma atmosfera opressora, marcada por alguma poesia e erotismo na hora das mortes. Tendo como base o livro homónimo de Michael Faber, "Under the Skin" tem alguns pormenores interessantes mas no final o que sobra é um vazio enorme, numa história que muito pouco tem de novo, parecendo uma refeição requintada cujo prato vem muito bem decorado mas no final não sabe a nada.

Título original: "Under the Skin".
Título em Portugal: "Debaixo da Pele".
Realizador: Jonathan Glazer. 
Argumento: Jonathan Glazer e Walter Campbell.
Elenco: Scarlett Johansson.

Sem comentários: