18 março 2014

Resenha Crítica: "The Frozen Ground"

Com raros momentos de emoção, um argumento pouco elaborado e personagens unidimensionais, "The Frozen Ground" surge como mais uma obra que pouco ou nada acrescenta ao currículo de Nicolas Cage e John Cusack. Realizado pelo estreante Scott Walker, "The Frozen Ground" é baseado no caso verídico de Robert Hansen (Cusack), um indivíduo que sequestrou, violou e assassinou entre 17 a 21 mulheres no Alasca. Cage interpreta Jack Halcombe, um polícia que persegue o assassino, em parte graças a Cindy (Vanessa Hudgens), uma prostituta, que conseguiu escapar com vida do psicopata, permitindo ligar o mesmo ao caso de um conjunto de jovens mulheres desaparecidas. O filme procura explorar as histórias particulares destes personagens, embora não saia dos lugares-comuns e dos clichés utilizados de forma artificial: Cage interpreta o agente determinado a encontrar o assassino e a lutar contra a burocracia no interior da polícia. Por sua vez, Cusack interpreta o assassino frio e impiedoso que vemos esporadicamente a cometer crimes, tratando as vítimas como presas (a sua casa tem uma divisória secreta onde tortura as mesmas), escondendo-se na capa de indivíduo aparentemente correcto, sendo que a sua relação com a família é abordada de forma pueril, servindo apenas para adornar a narrativa, algo que também acontece na abordagem do relacionamento supostamente complicado de Jack com a esposa. Temos ainda Vanessa Hudgens, uma “actriz” com notórios problemas de expressividade, embora até interprete uma das personagens mais credíveis, formando com Jack uma estranha relação de proximidade, ou não fosse este um dos poucos que a pode ajudar a conduzir Hansen à justiça. O filme conta ainda com uma participação pequena e pouco credível de 50 Cent (um dos produtores) como proxeneta, ao longo de uma obra cujo desfecho já conhecemos, enquanto nos deixa em volta da investigação policial e da procura de Hansen em eliminar Cindy. Cage e Cusack procuram fazer o que podem com o material à disposição e até têm momentos intensos quando partilham o ecrã num diálogo mais emotivo no último terço, mas é muito pouco para uma obra que até aproveita bem os gelados cenários do Alasca mas dá-nos sentimentos tão frios como a temperatura do mesmo durante Invernos rigorosos. No final de "The Frozen Ground" fica a ideia de que existia a boa vontade de fazer um thriller inquietante, mas o que saiu foi uma obra com um argumento banalíssimo, actores desaproveitados, um trabalho com a câmara medíocre, uma montagem mal oleada e uma realização pouco inspirada, tendo o seu momento de maior eficácia no último terço, embora seja muito pouco para redimir um filme tão insípido. 

Título original: "The Frozen Ground". 
Título em Portugal: "The Frozen Ground: Sangue e Gelo". 
Realizador: Scott Walker.
Argumento: Scott Walker.
Elenco:  Nicolas Cage, John Cusack, Vanessa Hudgens.

Sem comentários: