20 fevereiro 2014

Resenha Crítica: "Come Drink With Me" (Da zui xia)

 Realizado pelo lendário King Hu, "Come Drink With Me" é um dos marcantes wuxia produzidos pela não menos mítica empresa de produção Shaw Brothers, transportando-nos para um território medieval fantasioso, onde uma mulher procura salvar Zhang Buqing, o filho de Zhi Jun, o Governador do Estado dos Dois-Rios, que fora raptado por Yan Zhongyun, tendo em vista a servir como moeda de troca para libertar o líder do grupo criminoso, que se encontra detido por ordens do pai do refém. É então que somos apresentados à protagonista, uma mulher chamada Golden Swallow que apresenta uma enorme habilidade no manejo da espada. Esta é interpretada por Cheng Pei-pei, uma antiga bailarina, que viria a participar em vários filmes da Shaw Brothers, incluindo "Golden Swallow", repetindo a personagem que interpretara na película realizada por King Hu, uma das mais marcantes e mediáticas da sua carreira. Golden Swallow é uma mulher misteriosa, que é enviada pelo progenitor de Zhang Buqing para se reunir com os raptores, contactando desde logo com Tsu Kan (Lee Wan-chung), o "Tigre Sorridente", um indivíduo matreiro, que expõe as pretensões dos antagonistas: uma troca no prazo de cinco dias, ou o filho do Governador morre, algo que é inicialmente rejeitado pela emissária. Esta é irmã do raptado e ganha inesperadamente a ajuda de Fan Da-Pei (Yueh Hua), um indivíduo aparentemente mendigo e meio beberrão, que esconde uma habilidade enorme para as artes marciais, surgindo como uma espécie de "guardião improvisado" da protagonista, salvando a mesma de uma emboscada na estalagem onde se encontrava instalada e posteriormente ainda consegue evitar que esta seja eliminada no confronto com os homens de Yan Zhongyun, quando atacara o mosteiro onde estes se encontram instalados. A história é bastante simples, embora King Hu consiga explorar este adensar de tensão até ao confronto final (típico em vários filmes deste género), criando ainda uma subtrama relacionada com Fan Da-Pei e o seu mestre, Liao Kung (Yeung Chi-hing), que o integrou na escola de kung fu Green Wand, quando o simpático personagem era apenas um órfão. Perante a ajuda que Liao Kung providencia ao grupo de criminosos e o colocar em perigo da vida da protagonista, Fan Da-Pei tem de assumir uma faceta de herói improvável, num filme onde a clássica luta entre o bem e o mal é exposta com assertividade, sendo capaz de nos fazer acreditar nos seus personagens e intenções. Ficamos assim perante uma obra simples, marcada por uma guarda-roupa apropriado ao género, muita acção, algum humor e uma protagonista carismática, capaz de nos convencer que a sua habilidade é suficiente para ultrapassar os vários desafios que lhe são colocados.

Com uma protagonista feminina hábil na arte do combate, cujos movimentos a espaços parecem de bailado mas adequados à luta com espadas, "Come Drink With Me" apresenta-nos uma história simples e relativamente agradável de acompanhar, marcada por cenas de acção bem coreografadas (a presença de Han Ying-chieh como coreógrafo não deve ser descurada) e muita violência. Logo nas cenas iniciais ficamos perante a brutalidade que rodeia estes personagens, com o rapto do filho do Governador a ser marcado por muitos corpos cortados, sangue e até uma mão a ser apresentada fora do seu corpo, num conjunto de momentos prontos a causar o choque, até sermos apresentados à protagonista, com esta a protagonizar também momentos de grande emotividade. Cheng Pei-pei, uma das estrelas dos filmes da Shaw Brothers, revela-se exímia nos combates algo estilizados que protagoniza, mas também a criar uma atmosfera misteriosa sobre a sua Golden Swallow e a contar com uma dinâmica eficaz com Yueh Hua. O personagem deste assume uma relevância algo inesperada na narrativa, numa das reviravoltas pertinentes da mesma, revelando a sua argúcia para o combate, para além protagonizar alguns momentos cómicos, paradigmáticos da capacidade de King Hu para atribuir alguma leveza à obra cinematográfica. A estes momentos de violência e algum humor, "Come Drink With Me" junta ainda alguns momentos de fantasia (os poderes que Fan Da-Pei e o seu rival emanam das mãos) e musicais, com estes últimos, regra geral, a nem sempre funcionarem, numa das obras de artes marciais mais relevantes do seu tempo, ultrapassando as limitações orçamentais e surgindo como um exemplo a seguir para os filmes do género, um pouco a par de  "One-Armed Swordsman" (que também deixava um combate memorável para o fim). Em "Come Drink With Me" os combates surgem estilizados e ganham maior relevância na narrativa do que até então era hábito em boa parte dos filmes do género, contando ainda com uma mulher como protagonista de acção carismática, muito sangue falso, entre outros elementos que mais tarde até serviriam de inspiração para realizadores como Tsui Hark e Ang Lee ("Come Drink With Me" foi uma das fontes de inspiração para "Crouching Tiger, Hidden Dragon"). As obras da Shaw Brothers não primavam, em parte, pelos orçamentos elevados, mas estas limitações eram compensadas pelo facto do estúdio contar nas suas fileiras com realizadores de talento como Chang Cheh (o mesmo que iniciou a saga de "One-Armed Swordsman"), bem como King Hu, com este último a ter em "Come Drink With Me" um wuxia competente, que procura dar uma grande atenção aos elementos de acção, que adornam a história da missão desenvolvida pela Golden Swallow, uma heroína carismática e pronta a mostrar a sua perícia com a espada.

Título em inglês: "Come Drink With Me".
Título original: "Da zui xia".
Realizador: King Hu.
Argumento: King Hu e Yi Cheung.
Elenco: Cheng Pei-pei, Yueh Hua, Chan Hung-lit, Lee Wan-chung, Chi-hing.

Sem comentários: