29 dezembro 2013

Resenha Crítica: "Young Detective Dee: Rise of the Sea Dragon"

Depois do sucesso de "Detective Dee and the Mistery of the Phantom Flame", Tsui Hark decidiu regressar à mitologia do lendário personagem em "Young Detective Dee: Rise of the Sea Dragon", a prequela do primeiro filme de uma saga que promete não ficar por aqui. Se Indiana Jones já teve direito à história da sua juventude na série "The Young Indiana Jones Chronicles" e Sherlock Holmes a um filme sobre a sua adolescência em "Young Sherlock Holmes", então o Detective Dee também pode e deve contar com a sua história de origem, não tendo Andy Lau como intérprete como acontecera no primeiro filme, mas sim Mark Chao, um actor que convence como este jovem detective com enormes habilidades dedutivas e capacidade de ler os lábios dos seres humanos, algo que o promete colocar em problemas. O filme é baseado novamente na história do lendário Di Renjie, um dos oficiais mais conhecidos da Dinastia Tang, cuja lenda sobre a sua existência foi incrementada com a obra literária "Dee Goong An", tendo posteriormente sido traduzida por Robert van Gulik, que decidiu ainda iniciar a sua própria série literária sobre o Detective Dee. Dee chega à capital do Império a 665 d.C, durante a Dinastia Tang, mais propriamente, durante a Governação de Gaozong e a supervisão da Imperatriz Wu (Carina Lau), conhecidos como "os dois santos", embora a ingerência desta última não agrade a todos. Quando o Reino Fuyu colocou em causa as fronteiras do território de Luyoang, a Imperatriz enviou uma força naval considerável para atacar o inimigo, algo que termina da pior maneira, com as culpas da destruição dos navios de guerra a serem colocados no Monstro Marinho, despertado supostamente devido à presença destes veículos. Os populares entram em pânico, efectuando uma série de rituais para sossegar o monstro, incluindo sacrificar Yin Ruiji (Angelababy), uma cortesã escolhida para ser disciplinada no Templo do Dragão Marinho. É neste contexto atribulado que Dee chega a Luyoang, tendo em vista a ingressar no Da Lisi, o Departamento da Justiça, quando momentaneamente olha para um mapa e tem a visão de cinco indivíduos que pretendem raptar Ruiji, algo que este logo tenta travar, deparando-se ainda com uma criatura monstruosa, bem como a oposição de Yuchi Zhenjin, o Ministro-Chefe do Da Lisi, que o considera como suspeito e o manda deter. Na prisão, Dee conhece Shatuo Zhong (Lin Gengxin), um ajudante de médico que trabalha no local, com quem forma amizade, após o primeiro deduzir uma série de elementos sobre a vida deste, ajudando o protagonista a fugir, dirigindo-se até ao Templo para procurar investigar a dupla perseguição a Yin, quer pelo monstro marinho com aspecto de réptil (a fazer recordar o monstro de "Creature From Black Lagoon"), quer pelo grupo de indivíduos desconhecidos. Pouco tempo depois, descobrimos que a criatura é Yuan Zhen, um indivíduo que trabalhara na casa de chá Tranquilidade, que escrevia poesia e belas cartas para Yin, a sua amada quando esta era uma cortesã, tendo ficado com este aspecto monstruoso devido a um envenenamento. 

 Yuan também é perseguido por um grupo de estranhos elementos mascarados, que comunicam em dondo, atacam o templo e transformam mais uma vez este local num antro de violência, onde o sagrado e o profano se unem, enquanto uma conspiração mais lata se revela e a vida de toda a corte se encontra em perigo. Tsui Hark volta a apostar em vários dos elementos que foram bem sucedidos no primeiro filme, ao desenvolver algumas cenas de acção magníficas, criar personagens interessantes e expor uma investigação que capte a nossa atenção (embora por vezes se perca), sempre com algum humor, tensão, aventura, reviravoltas e até romance, explorando adequadamente os cenários criados e assumindo a seu bel-prazer as liberdades históricas para nos apresentar a uma fantasiosa versão da China durante a Dinastia Tang. Nesse sentido não faltam combates que desafiam a gravidade e parecem bailados pelos ares em doses superiores aos do primeiro filme, tais como no templo quando os raptores pretendem capturar a cortesã, para além da presença de uma parafernália de elementos sobrenaturais e místicos (veja-se a criatura marinha, uma espécie de Kraken), intrigas e jogos de poder, um guarda-roupa cuidado, não faltando ainda uma substância tóxica a fazer recordar as larvas de fogo do primeiro filme. Claro que pelo meio existe muito show off, com Tsui Hark a querer mostrar o dinheiro despendido em largos efeitos especiais e a expor ao máximo o efeito 3D, desenvolvendo momentos que parecem saídos de um jogo de computador, tais como quando o protagonista encontra as placas de identificação dos personagens e a informação surge ao lado dos mesmos, um recurso para apresentar alguns elementos da narrativa, mas que nem sempre funciona, para além de um argumento que por vezes se perde em demasia nos seus momentos demasiado implausíveis, mesmo para um filme do género (não falta um cavalo a cavalgar velozmente debaixo de água e uma cura para o veneno em formato de urina). No entanto, vale a pena realçar a procura de "The Young Detective Dee: Sea of Monsters" apresentar um maior esforço a nível da construção dos personagens e das subtramas do que que "Detective Dee and the Mystery of the Phantom Flame", dando espaço aos elementos secundários para se destacarem, tais como Lin Gengxin (boa interpretação como Shatuo Zong, um médico que forma amizade com Dee e é extremamente envergonhado com as mulheres), Feng Shaofeng (o seu personagem vai formar uma interessante rivalidade com Dee ao longo do filme), Carina Lau, entre outros, embora Mark Chao raramente consiga apresentar os níveis de carisma de Andy Lau, cumprindo no papel, é certo, mas não transmitindo aquela aura única do seu antecessor. Marcado por muito mistério, aventuras, momentos irreais, cenários cuidados e doses generosas de acção, "Young Detective Dee: Rise of the Sea Dragon" apresenta-nos ao lendário personagem nos primeiros anos da sua carreira, abrindo espaço para uma franquia de sucesso e mostrando mais uma vez o talento de Tsui Hark para os filmes do género.

Título original: "Di Renjie: Shen du long wang"
Título em inglês: "Young Detective Dee: Rise of the Sea Dragon". 
Realizador: Tsui Hark. 
Argumento: Chen Kuofu.
Elenco: Mark Chao, Carina Lau, Feng Shaofeng, Lin Gengxin.

Sem comentários: