01 dezembro 2013

Resenha Crítica: "You Can't Get Away with Murder" (1939)

 "You Can't Get Away With Murder" surge como um drama genérico produzido pela Warner Bros que pouco ou nada acrescenta ao género, tendo na presença de Humphrey Bogart uma das atracções, com este a interpretar um gangster, um papel recorrente ao longo da sua carreira nos anos 30 do Século XX. A história é simples e remete para muitos filmes de gangsters da época e dramas prisionais, sendo centrado na história de Johnny Stone (Billy Halop), um jovem que vive com Madge (Gale Page), a sua irmã, num bairro com poucas condições de Nova Iorque. Numa premissa muito semelhante a "Dead End" (Gale Page e Billy Halop também já tinham interpretado um irmão e irmã em "Crime School"), Madge procura proteger Johnny de uma vida ligada ao mundo do crime, mas este não segue os seus conselhos, acabando por colaborar com Frank Wilson (Humphrey Bogart), um gangster perigoso. A colaboração entre Frank e Johnny parecia correr às mil maravilhas, mas logo ganha contornos arrasadores quando o primeiro assassina um indivíduo na casa de penhores que se encontrava a assaltar, utilizando a arma de Fred Burke (Harvey Stephens), o noivo de Madge. A arma foi roubada por Johnny, que cedo procura encobrir o crime, acabando por ver Fred ser detido e condenado a pena de morte. Por sua vez, Johnny e Frank também são presos devido a um assalto efectuado a uma bomba de gasolina. Johnny fica num conflito interno: revelar que Frank é o assassino e ver a sua pena aumentada por cumplicidade ou deixar o namorado com a irmã. Na prisão, as dúvidas aumentam, enquanto o jovem vive num ambiente hostil, que mais do que o educar para reintegrar na sociedade, promete integrá-lo no leito da morte, num enredo apresentado num tom melodramático e moralista.

 Estamos perante um filme de série b, daqueles que Humphrey Bogart era obrigado a efectuar devido a estar sob contrato com a Warner Bros. (em 1939, ano do lançamento desta obra, integrou o elenco de sete filmes) dando um desempenho seguro, como Frank, um criminoso pouco relevante no mundo do crime, que conta com algumas conexões na prisão mas está longe de ser um Duke Mantee ou um Roy Earle, dois dos gangsters mais marcantes interpretados pelo actor. Se Bogie surge seguro para interpretar um tipo de personagem que tão bem conhece, já o jovem Billy Halop, que trabalhara com Humphrey Bogart em "Dead End", "Crime School" e "Angels With Dirty Faces", tem em "You Can't Get Away" mais um papel de jovem delinquente e revoltado com a sociedade, numa obra muito marcada pelos lugares-comuns dos filmes de gangsters da época, com Lewis Seiler a desenvolver tudo sem um pingo de originalidade. No fundo, parece que estamos a ver um conjunto de actores e um realizador a trabalharem para o cheque, contando com uma história esquemática e moralista, embora seja capaz de explorar o ambiente degradante da prisão e causar alguma tensão em volta do destino de Fred e na possibilidade de Johnny seguir ou não o rumo certo. Outro dos pontos positivos do filme centra-se na relação formada por Johnny e Pop (Henry Travers), o bibliotecário da prisão, com este último a procurar incutir algum juízo no protagonista, numa obra onde não falta a exposição das dificuldades económicas que conduzem a que o mundo do crime seja apelativo para jovens como Johnny, embora a abordagem das temáticas esteja muito distante de filmes como "Dead End" ou "Angels With Dirty Faces", onde encontrávamos toda uma procura em abordar as causas que conduziam à formação dos gangsters, as assimetrias sociais, entre outras temáticas, que no filme de Lewis Seiler surgem quase sempre esbatidas. Pelo meio encontramos um trabalho de fotografia bem assertivo, marcado pela boa utilização do chiaroscuro, algo que aliado a uma história relativamente suportável e a espaços agradável de acompanhar, resulta numa obra que se revela uma boa escolha para uma tarde domingueira de chuva com pouco para fazer, nem que seja para podermos ver mais uma obra de Humphrey Bogart antes deste sobressair como Roy Earle, Philip Marlowe e Rick Blaine, entre vários outros papéis marcantes da sua carreira. 

Título original: "You Can't Get Away with Murder".
Título em Portugal: "Explorando o Crime".
Realizador: Lewis Seiler.
Argumento: Jonathan Finn e Lewis E. Lawes.
Elenco: Humphrey Bogart, Gale Page, Billy Halop.

Sem comentários: