21 dezembro 2013

Resenha Crítica: "The Secret Life of Walter Mitty" (1947)

 Quantos de nós já não sonhámos acordados? Seja num momento de maior desconcentração, seja quando estamos a procrastinar, a ver um filme que não consegue cativar a nossa atenção ou até a ler um livro, várias são as vezes em que a imaginação toma conta das nossas pessoas. Walter Mitty, o protagonista de "The Secret Life of Walter Mitty", é um sonhador. Este sonha acordado nos momentos mais impróprios e indevidos, deixando-se levar pela sua imaginação fértil, por vezes até algo infantil, algo que lhe promete trazer os mais sérios problemas. Walter trabalha como editor de textos na Pierce Publishing Company, onde tem de lidar com Bruce Pierce (Thurston Hall), o seu chefe, um indivíduo pronto a apropriar-se das suas ideias, vive com a mãe Eunice Mitty (Fay Bainter), que procura controlar a sua vida, e está noivo de Gertrude Griswold (Ann Rutherford), uma mulher que nada tem a ver consigo e surge sempre acompanhada pela antipática progenitora, com estas três últimas a pensarem que o protagonista é um irresponsável. O único escapismo a esta rotina acontece quando Walter sonha, com este a ser um médico salvador enquanto se distrai numa reunião de trabalho, um marinheiro quando encontra um cartaz publicitário, um piloto da RAF quando lê um jornal e até um jogador de póquer pronto a salvar as propriedades da mulher amada quando está na realidade a jogar cartas com a mãe, a namorada, a sogra e um amigo destas duas últimas. A vida de Walter Mitty muda quando conhece Rosalind van Hoorn (Virginia Mayo), uma mulher misteriosa que apareceu nos seus sonhos e posteriormente na vida real, quando se encontravam num comboio e esta beija-o para esconder-se de um inimigo, algo que repete no táxi, embora Walter a tenha que abandonar para entregar os textos no trabalho. No entanto, este esquece-se dos mesmos no táxi, apanhando outro para ir ter com a bela mulher até ao cais, onde esta se encontra com Maasdam (Frank Reicher), um indivíduo enigmático, que juntamente com esta procura encontrar e proteger um livro que contém a localização de várias jóias holandesas escondidas dos Nazis durante a II Guerra Mundial, em parte com a ajuda do tio desta, Peter van Hoorn (Konstantin Shayne).

Maasdam acaba morto e o protagonista logo se torna um alvo da organização criminosa "A Bota" que também procura o paradeiro do livro, envolvendo-se involuntariamente nesta perigosa busca pelo objecto ao lado do Rosalind, numa jornada onde terá ainda de procurar ganhar confiança para enfrentar as adversidades e os elementos castradores da sua vida como a mãe, o chefe e a namorada, tendo ainda de lidar com elementos misteriosos e perigosos como o Dr. Hollingshead (Boris Karloff), numa obra marcada por muito humor, alguma tensão, momentos surreais e um tom algo naïve, proporcionando quase duas horas de momentos de puro escapismo. Realizado por Norman Z. McLeod, um cineasta conhecido por realizar obras como "Monkey Business" (1931), "Alice in Wonderland", o divertido "Topper", entre outros, "The Secret Life of Walter Mitty" apresenta-nos a história de um indivíduo tímido e com uma personalidade algo peculiar, que deixa os sonhos tomarem parte da sua realidade com enorme facilidade, proporcionando alguns momentos que variam entre o humor capaz de gerar risos e o embaraçoso, deixando espaço para Danny Kaye sobressair. Seja no humor físico, seja a disparar falas em velocidade estonteante, seja nos momentos mais embaraçosos do filme, Kaye dá uma vitalidade e credibilidade notáveis ao seu personagem, enquanto canta, dança, sonha, imita instrumentos musicais, desafia os seus medos, e expõe o carácter peculiar de Walter Mitty de forma eficaz, sendo bem acompanhado por Virginia Mayo, com esta a interpretar a mulher dos seus sonhos que aparece no mundo real e prepara-se para alterar a sua vida. Mérito para Danny Kaye e Virginia Mayo, mas também para o argumento de Ken Englund, Everett Freeman e Philip Rapp, tendo como base o conto "The Secret Life of Walter Mitty" de James Thurber, desenvolvendo um filme de fantasia, humor e aventura, onde o sonho e realidade se unem na narrativa por vezes surreal desta divertida obra cinematográfica e proporcionam alguns momentos dignos de atenção (veja-se quando o protagonista pensa que é um piloto da RAF). Não são os planos magníficos que sobressaem ao longo desta história cheia de cor, pronta a aproveitar o technicolor, mas sim a atmosfera envolvente, por vezes algo infantil, marcada por momentos de humor, romance, aventura, acção, parvoíce e alguma irreverência, revelando-se uma obra despretensiosa e agradável, capaz de entreter e proporcionar enormes doses de escapismo durante a sua duração.

Título original: "The Secret Life of Walter Mitty". 
Título em Portugal: "O Homem das Sete Vidas".
Realizador: Norman Z. McLeod.
Argumento: Ken Englund, Everett Freeman e Philip Rapp.
Elenco: Danny Kaye, Virginia Mayo, Boris Karloff, Fay Bainter, Florence Bates.

Sem comentários: