23 junho 2013

Resenha Crítica: "Lay the Favorite" (O Dobro ou Nada)

 Nova incursão do irregular Stephen Frears na realização cinematográfica, "Lay the Favorite" desaproveita a riqueza do material original que serviu de história ao filme para nos apresentar uma comédia mediana que nos coloca perante a pergunta sobre o que se passa com o cineasta. A história do filme teve como base as memórias de Beth Raymer, uma escritora e jornalista norte-americana, que durante uma fase da sua vida trabalhou como stripper e decidiu viajar para Las Vegas, onde acabou por se embrenhar no mundo das apostas desportivas, na indústria do sexo e do boxe amador. Como podemos encontrar numa pesquisa rápida sobre o livro homónimo que dá título ao filme, este acompanha um período dinâmico no interior das apostas desportivas, ao mesmo tempo que aborda problemáticas relacionadas com sexo, droga e apostas, com as quais a protagonista tinha de lidar. Quem encarna o papel de Beth Raymer no filme realizado por Stephen Frears é Rebecca Hall, uma actriz que tem algum talento, mas necessita de fazer melhores escolhas para a sua carreira.
 As primeiras cenas de "Lay the Favorite" servem para estabelecer as motivações de Beth para decidir sair de Tallahassee, abandonar a profissão de stripper (ainda tinha um site de pornografia com vídeos protagonizados por si) e ir em direcção a Las Vegas para ser empregada de mesa. Esta acaba por deparar-se com duas nudistas, Darcy (Jo Newman) e Holly (Laura Prepon), que logo a recomendam a Dink, um apostador inveterado que logo a apresenta a este frenético mundo onde se pode ganhar e perder dinheiro num ápice. Beth encontra um entusiasmo imediato nesta profissão (um entusiasmo demasiado falso que chega a ser irritante), enquanto aos poucos começa a se familiarizar com o conceito do jogo, lida com os ciúmes iniciais da mulher (Catherine Zeta-Jones) de Dink (Bruce Willis) e interessa-se por Jeremy (Joshua Jackson).
 Definitivamente Bruce Willis está muito pouco preocupado com a sua carreira. Ao olharmos para a sua filmografia recente podemos encontrar o actor em obras como "Setup", "Catch.44", "The Cold Light of Day", "Fire With Fire", "G.I.Joe: Retaliation", "A Good Day to Die Hard", mesclando as mesmas com alguns filmes acima da média como "Looper" e "Moonrise Kingdom". "Lay the Favorite" não se ajusta na mesma categoria dos últimos, estando muito perto de fazer parte da série pouco recomendável que enunciei. Quem também parece estar pouco preocupado com a sua carreira é Stephen Frears, que desenvolve uma comédia pouco elaborada, que nos faz constantemente pensar que quem escreveu o argumento do filme padece de graves problemas. Com uma história sem chama, um conjunto de personagens rasos, "Lay the Favorite" nunca consegue que nos cheguemos sequer a preocupar com a história e com os seus personagens, ao mesmo tempo que encontramos Catherine Zeta-Jones em figuras constrangedoras, Joshua Jackson a ser desaproveitado, Bruce Willis a fazer de Bruce Willis, Laura Prepon a ter um papel de enorme nulidade e Rebecca Hall a ser irritante.
 Rebecca Hall é uma actriz com talento e potencial, mas a personagem que interpreta é provavelmente dos piores papéis da sua carreira. Mais parecida com uma criança do que como uma adulta, Beth supostamente é uma mulher que consegue triunfar num meio de homens e dondocas, mas na realidade essa situação raramente é explorada ao longo do filme, que parece mais preocupado em tratá-la como uma jovem sonhadora que pretende triunfar na vida. Diga-se que nada do que pode dar profundidade à narrativa é aproveitado: A exploração da história de vida riquíssima de Beth Raymer, a quase relação entre a protagonista e o personagem de Bruce Willis, a rivalidade entre os apostadores, a possibilidade da personagem de Rebecca Hall poder sofrer as consequências da actividade ilegal que pratica. 
 Esta pouca profundidade da história e o total desaproveitamento do elenco é algo que custa a compreender. A história tem potencial, os actores já deram provas mais do que suficientes de que sabem fazer melhor, Stephen Frears conta com algumas obras acima da média no seu currículo. No entanto, tudo falha. Rebecca Hall, Bruce Willis, Joshua Jackson, Vince Vaughn, Stephen Frears e o cãozinho que acompanha a protagonista fizeram uma aposta errada nas suas carreiras, mas quem paga a despesa é o espectador, que gasta o seu tempo à espera que estes nomes salvem "Lay the Favorite", mas apenas se deixam a afundar pela sua banalidade.

Título original: "Lay the Favorite".
Título no Brasil: "O Dobro ou Nada". 
Realizador: Stephen Frears. 
Argumento: D.V. DeVincentis.
Elenco: Rebecca Hall, Bruce Willis, Vince Vaughn, Joel Murray, Laura Prepon, Frank Grillo, Catherine Zeta-Jones, Joshua Jackson. 

Sem comentários: