25 abril 2013

Resenha Crítica: "Gimme the Loot"

 Recheado de diálogos simples e cheios de vida, "Gimme the Loot" destaca-se exactamente pela sua simplicidade e alguma candura, nunca procurando enganar o espectador em relação aos seus propósitos. Sem um enredo intrincado, mas com um enorme charme, "Gimme the Loot" apresenta-nos a história de Malcolm (Ty Hickson) e Sofia (Tashiana Washington), dois jovens grafitters do Bronx que estão de férias e se decidem vingar de um grupo rival, após estes terem vandalizado a sua obra de arte. A vingança é simples: estes têm de juntar 500 dólares para terem acesso ao jogo dos New York Mets e grafitarem a Big Apple no Citi Field. Malcom procura angariar o dinheiro através da venda de droga, embora os seus antigos chefes não partilhem da mesma ideia. Sofia procura vender um telemóvel roubado ao amigo do indivíduo que roubou a sua bicicleta. Malcom e Sofia são os dois melhores amigos, partilhando uma enorme cumplicidad, que é visível através dos seus deliciosos diálogos, que variam entre o divertido, vulgar e o tenso, ao mesmo tempo que sentem um enorme prazer na arte da pintura de grafitti. 
 Os de fora, incluindo o espectador, pensam que existe algo mais do que simples amizade entre Malcom e Sofia, embora ambos neguem, enquanto revelam uma enorme química, beneficiando das excelentes interpretações de Ty Hickson e Tashiana Washinton, que não só revelam uma excelente dinâmica, como entusiasmam e incrementam os seus personagens. No meio dos protagonistas encontra-se Ginnie (Zoë Lescaze), uma loira sensual que surge como o objecto de desejo financeiro e sexual de Malcolm, uma rapariga rica a quem este entregou droga e posteriormente sente-se seduzido pela mesma, procurando ainda roubá-la para alcançar os 500 dólares. Ginnie surge cheia de vida, espirituosa, mimada, embora pareça apenas ver em Malcom um "brinquedo" diferente daqueles que encontra, ao mesmo tempo que Lescaze se revela uma agradável surpresa.
 No entanto, o fulcro do filme é a relação entre Malcom e Sofia, enquanto estes deambulam por uma Nova Iorque nem sempre explorada nos filmes, vivendo uma série de episódios peculiares e conquistando-nos por toda a sua simplicidade. É nesta capacidade de criar dois personagens agradáveis por quem somos capazes de torcer enquanto estes debitam diálogos deliciosos, lidam com algumas contrariedades, exprimem os seus sentimentos e ansiedades, mostram as suas virtudes e defeitos, que "Gimme the Loot" nos conquista, com Adam Leon a ter uma estreia muito interessante na realização de longas-metragens, ao desenvolver uma obra com um coração enorme. Este é um coração que palpita emoções, candura e sentimentos, enquanto nos faz torcer pelo sucesso de Malcom e Sofia, no seio de uma sociedade que não lhes parece dar grandes oportunidades. Mérito para o argumento e realização de Adam Leon, mas também para Tashiana Washington e Ty Hickson, dois actores com pouca experiência na representação cinematográfica, mas que se tiverem inteligência podem vir a formar uma carreira interessante. 
 Quem também pode vir a formar uma carreira interessante é Adam Leon, um cineasta que nos apresenta uma obra aparentemente simples, tendo na missão principal um MacGuffin, sobre o qual gira parte do enredo, mas cedo percebemos que o tema fulcral de "Gimme the Loot" é a relação entre o casal de protagonistas. A relação entre Malcom e Sofia está longe de poder ser considerada amorosa, mas também transcende a amizade, surgindo como um amor platónico, enquanto ambos deambulam por uns Estados Unidos da América nem sempre apresentados nos filmes, beneficiando da boa utilização dos cenários exteriores por parte de Leon. Não faltam as ruas cheias de graffitis (o filme raramente aborda o debate sobre se estas pinturas são arte ou vandalismo), a cultura de rua, os jovens a cantar hip hop, jogarem basket, as disputas entre grupos rivais de grafitters, o tráfico de droga, ou seja, todo um mundo urbano que parece enclausurar os protagonistas, que apresentam uma candura que em certa medida os distancia da dureza que os rodeia. Eles próprios estão conscientes dessa dureza, mas encaram a mesma de forma diferente. 
 Sofia é forte, não tem "papas na língua" e apresenta "mão de ferro" nas suas decisões. Malcolm é o "tipo porreiro", que fala pelos cotovelos, brinca, diverte-se e envolve-se em problemas. Adam Leon é simplesmente brilhante a desenvolver uma história simples sobre um casal que nunca o chega a ser verdadeiramente, ao mesmo tempo que explora a estratificação social norte-americana, apresenta-nos a um mundo que pode ser cruel, mas encontra alguma esperança em pessoas como Malcolm e Sofia, dois personagens recheados de defeitos e virtudes, que facilmente geram a nossa empatia e merecem toda a atenção dada pelo espectador. "Gimme the Loot" pode não ter a estética mais apurada, nem a história mais intrincada e recheada de mensagens subliminares, mas é desenvolvido com uma classe e segurança que facilmente nos transportam para o interior desta história profundamente humana, recheada de blues, humor, drama, diálogos bem escritos, enquanto dois personagens se divertem e criam laços em horas solarengas que indicam um futuro promissor para Adam Leon.

Classificação: 3.5 (em 5). 
Título original: "Gimme the Loot". 
Realizador: Adam Leon. 
Argumento: Adam Leon. 
Elenco: Meeko Gattuso, Tashiana Washington, Ty Hickson, Zoë Lescaze.

Sem comentários: