31 março 2013

Entrevista a Nicolau Breyner sobre "Comboio Noturno para Lisboa"

Entrevista efectuada a Nicolau Breyner no âmbito da divulgação de "Comboio Noturno Para Lisboa". A entrevista foi efectuada para a Take Cinema Magazine. A foto a Nicolau Breyner é da autoria de Diana Ramos.

Take Cinema Magazine: Como surgiu o envolvimento do Nicolau Breyner no projecto?

Nicolau Breyner: Só se fazem projectos quando nos convidam. Portanto, convidaram-me e eu fiz. Acresce ainda o facto da Ana Costa da Cinemate, da qual eu faço parte, ser co-produtora do projecto. Há um papel que me pediram para fazer.

Take Cinema Magazine: O que o atraiu em 'Comboio Nocturno Para Lisboa'? 


Nicolau Breyner: O projecto em si, é um grande livro. Feito por um grande realizador como o Bille August, que não é por acaso que ganhou um Oscar e vários prémios e conta com um dos grandes actores da nossa geração, que é o Jeremy Irons. É um projecto irresistível.

Take Cinema Magazine: O seu personagem interage sobretudo com Raimund, o personagem interpretado por Jeremy Irons. Pode falar-nos um pouco sobre a relação entre ambos no set?


Nicolau Breyner: Foi magnífica. Foi tão magnífica que ficámos os dois amigos. Falamos amiúde, almoçamos juntos quando ele cá está, já temos uma série de coisas marcadas para fazermos. Transformámos uma relação de respeito mútuo e de respeito que tenho por ele numa relação de amizade.

Take Cinema Magazine: Como foi a experiência de trabalhar com Bille August? 


Nicolau Breyner: É magnífico. É uma pessoa que sabe exactamente aquilo que quer. Não há qualquer espécie de hesitação no Bille August. Ele chega, diz o que quer e ponto final. Nós executamos e isso é muito bom. Não há confusões, não há meias palavras, é assim.

Take Cinema Magazine: Considera que a gravação de produções internacionais em Portugal são uma boa forma de divulgar o nosso país e a nossa cultura?


Nicolau Breyner: É mesmo a única. Mais que o Galo de Barcelos é de certeza. É uma maneira especialmente importante. Trazer para aqui grandes histórias, grandes actores, grandes realizadores. Permite a autores e actores nossos - que há magníficos em Portugal - fazerem coisas que podem ser lançadas para o Mundo.

Take Cinema Magazine: O que pensa da opção de todo o filme ser filmado em inglês?


Nicolau Breyner: Não vale a pena irmos por aí. Não poderia ser de outra maneira. Só podia ser assim. O protagonista fala em inglês, o filme passa-se em inglês.

Take Cinema Magazine: O Nicolau Breyner também é realizador. Gostaria de realizar uma produção internacional desta envergadura? 


Nicolau Breyner: Claro que sim e hei-de realizar se Deus quiser.

Take Cinema Magazine: Recentemente uma campanha no Kickstarter permitiu que a adaptação de uma série televisiva obtivesse financiamento de forma bastante rápida. Pensa que o Crowdfunding pode ser um meio viável para os cineastas portugueses desenvolverem os seus projectos?


Nicolau Breyner: É uma das maneiras. Pode ser uma das soluções.

Sem comentários: