30 março 2013

Entrevista a Martina Gedeck sobre "Comboio Noturno Para Lisboa"

 Entrevista efectuada por este blogger a Martina Gedeck no âmbito da divulgação de "Comboio Noturno Para Lisboa". A entrevista foi efectuada para a Take Cinema Magazine, a foto é da autoria de Diana Ramos.

Take Cinema Magazine: Como surgiu o seu envolvimento no projecto?

Martina Gedeck: O Bille August perguntou-me se eu queria o papel.

Take Cinema Magazine: Pode falar-nos da experiência de trabalhar com Bille August?

Martina Gedeck: Foi uma experiência muito bonita. Ele é um realizador muito experiente. Ele consegue explicar com muitas poucas palavras aquilo que pretende, é muito preciso nas suas direcções. Cria uma atmosfera muito amigável e de grande confiança no set.

Take Cinema Magazine: A Martina Gedeck tem uma das personagens mais simpáticas da narrativa, a oftalmologista Mariana. Pode apresentar a sua personagem aos nossos leitores?
 
Martina Gedeck: É uma oftalmologista que conhece Raimound Gregorious e percebe que este está perdido. A relação entre ambos é muito terna, mas não é muito directa, está entre "as linhas". É uma relação muito poética, que mantém sempre uma perspectiva para o futuro. No filme temos sempre o passado e o presente, mas Mariana dá a Raimund uma possibilidade para o futuro no final do filme. Ele está a procurar relacionar-se com pessoas e ela está sempre a puxar por este, a mostrar que a vida dele também é interessante.
  A relação entre eles é muito terna. Ela acompanha-o durante todo o filme, ela compreende-o mas também faz algumas piadas sobre ele. Fá-lo sentir livre e falar sobre ele próprio. Todos lhe falam sobre as histórias [do passado], mas a única pessoa com quem pode falar sobre a sua história e está interessado neste é Mariana. Esta não está interessada nas histórias do passado, mas sim na história de Raimund.

Take Cinema Magazine: O tio da sua personagem tem uma grande importância para Raimund descobrir vários elementos sobre a história de Amadeu. Já conhecia este passado de Portugal ligado à ditadura?

Martina Gedeck: Não, não conhecia nada sobre isso, só quando me comecei a preparar para o filme. É verdade que muitas pessoas na Alemanha não conhecem nada sobre o que aconteceu durante o Regime de Salazar e na Revolução. Este livro é muito popular na Alemanha, muitas pessoas já leram o livro, então muitas pessoas já se começaram a conectar com a história de Portugal. Após o livro ter saído, muitas pessoas quiseram visitar Lisboa. Muitas pessoas tiveram inveja de eu poder estar em Lisboa.

Take Cinema Magazine: A Martina Gedeck contracena bastante com Jeremy Irons. Como foi trabalhar com Irons?

Martina Gedeck: O Jeremy Irons é um actor muito invulgar. Ele transforma-se no personagem, mas também está muito presente como Jeremy Irons. É muito amável, pretende sempre que os outros actores se sintam bem na sua presença. Eu realmente gosto muito de Jeremy Irons, quer como pessoa, quer como actor.

Take Cinema Magazine: Já tinha estado em Lisboa? Como foi a experiência de filmar na cidade?

Martina Gedeck: É a primeira vez que estou em Portugal, foi uma experiência maravilhosa. Tínhamos muito portugueses na nossa equipa e foram todos muito amigáveis e prestáveis, muito hospitaleiros. Na altura estava calor, as pessoas andavam pelas ruas, festejavam pelas ruas, ouviam música na rua à noite, as pessoas pareciam ser muito próximas umas das outras. Claro que esta é uma opinião muito superficial. Quando vim fazer este filme todos nos receberam de braços abertos, as pessoas queriam que fossemos bem recebidos. Adoro Lisboa, adoro a sua arquitectura, adoro este Rio, existe tanta vida, existe sempre tanto para descobrir. O ar, a luz e a atmosfera desta cidade faz-nos sentir mesmo bem. As pessoas podem estar com dificuldades, mas são muito ricos por aquilo que têm aqui.

Take Cinema Magazine: Aprendeu alguma palavra em Português?

Martina Gedeck: “Obrigado”.

Take Cinema Magazine: Já conta com projectos para o futuro?

Martina Gedeck: Sim, fiz um filme chamado "The Wall". Não sei se será exibido aqui, mas tem sido exibido em vários países [nota: exibido na Mostra Kino 2013], também adapta um livro muito famoso. Tenho trabalhado em alguns filmes alemães que não sei se serão exibidos aqui.

Sem comentários: