31 outubro 2012

Resenha Crítica: "Dos Homens Sem Lei" (Lawless)

  A certa altura de "Dos Homens Sem Lei", Forrest, o personagem interpretado por Tom Hardy, salienta que os Bondurant não têm de "curvar-se perante ninguém”. Estas palavras representam bem o comportamento dos três irmãos Bondurant, um trio de foras-da-lei que promete dificultar a vida a todos aqueles que se colocarem no seu caminho, um grupo violento, com um comportamento praticamente nihilista, que obedece apenas às suas próprias regras. Inspirado na história real dos irmãos Bondurant, em particular no livro "The Wettest County in the World", "Dos Homens Sem Lei" não poupa pormenores ao expor de forma exacerbada a violência entre os gangs durante a lei seca, um período onde esta lei era ignorada por tudo e por todos, um tempo onde um grupo de gangsters enriquecia graças ao contrabando de álcool, onde nomes como Al Capone eram elevados ao estatuto quase de celebridades.
 Esqueça os fatos caros e o glamour habitualmente visto nos filmes sobre os gangsters dos anos 20/30, tais como o mediático "Os Intocáveis", pois "Lawless" tem como celebridades os irmãos Bondurant, um grupo pouco letrado e violento, que tem nos punhos a sua maior capacidade negocial, enquanto conquistam o estatuto de lendas "invencíveis" na Virginia, no Condado de Franklin, um local que parece saído de um western, onde a lei e a ordem parecem estar corrompidas perante os interesses instalados. Esse estatuto surge em grande parte graças a Forrest Bondurant, o líder do grupo. Pouco falador, violento, implacável, Forrest lidera o trio, formado ainda por Howard (Jason Clarke), um criminoso beberrão que bate primeiro e pensa depois, e o imprudente Jack (Shia LaBeouf), um jovem com sérios problemas em disparar uma arma, que idolatra Floyd Banner (Gary Oldman).
  O quotidiano dos Bondurant muda com a chegada do agente corrupto Charlie Rakes (Guy Pearce), um indivíduo que procura controlar o mercado de tráfico de bebidas alcoólicas do Condado de Franklin, mas acaba de bater de frente contra os irmãos Bondurant, um grupo que parece não ter medo de nada nem ninguém, um grupo cujas lendas em redor das suas pessoas leva a que se sintam invencíveis, mesmo quando o seu líder é baleado e tem a garganta cortada. Ao mesmo tempo que lidam com a crescente dureza em relação ao tráfico de álcool começa a sentir-se nos corpos dos seus intervenientes, ao mesmo tempo que Forrest lida com a chegada da bela Maggie para trabalhar no bar dos Bondurant, Jack procura ser um gangster como nos filmes e Rakes revela ser um mafioso do pior.
  Violento, tenso, por vezes melancólico, "Lawless" concentra as suas atenções no trio de irmãos Bondurant, um grupo violento de foras da lei, que parecem invencíveis contra todos os perigos, enquanto John Hillcoat desenvolve um trabalho algo irregular, que nunca consegue atingir o estatuto épico a que se propõe. Inspirado no livro "The Wettest County in the World", de Matt Bondurant, o filme não poupa na violência extrema e nos banhos de sangue, enquanto exibe um período da história norte-americana no qual os gangsters granjeavam um estatuto semelhante a estrelas (algo que visível pela procura do personagem de Shia LaBeouf em tentar emular os gangsters como Al Capone), onde as forças da lei apresentavam uma forte promiscuidade, algo que permitiu a proliferação de indivíduos como os Bondurant. 
 O grupo de protagonistas de "Lawless" está bem distinto do estatuto de gangsters como Al Capone, ou dos que figuram na maior parte dos filmes de gangsters, algo notório pela figura do seu líder, um indivíduo pouco falador, soturno, cuja pouca habilidade para a oratória é dicotómica da sua capacidade de dar pancada e liderar os seus irmãos, tendo em Tom Hardy um intérprete à altura ao conceder ao seu personagem uma grande intensidade, uma dimensão que claramente se distingue dos demais elementos do elenco, que encontra em Jason Clarke o elo mais fraco (o seu personagem surge quase exclusivamente representado como um alcoólico). Se Hardy apresenta uma interpretação a confirmar o seu enorme talento, Guy Pearce surge como um antagonista que adoramos odiar, um homem odioso, violento, psicopata, que se distingue claramente dos restantes, um individuo que é o paradigma dos personagens exagerados que povoam a narrativa, um exagero que se traduz nas suas personalidades, formas de agir, de sentir.
Ao longo da crítica podem ter reparado que a palavra violência foi longamente repetida. Esta situação deve-se a algo muito específico. John Hillcoat não poupa na pancadaria, nos tiroteios, no sangue, violações, provocando muitas das vezes o choque no espectador, numa procura clara em demonstrar o clima violento onde estes homens e mulheres habitam, uma violência que em última análise procura encontrar a paz, ao mesmo tempo que o caos e a desordem parecem encontrar resolução pelo caminho mais violento. No meio desta violência, brutal, incomodativa, reordenadora, estes personagens encontram ainda espaço para amar, nomeadamente o jovem galanteador Jack, que vê na bela Bertha Minnix uma paixão que lhe aquece o coração, ao contrário de Forrest, que descobre o amor de forma casual e divertida na figura da sofrida Maggie (Jessica Chastain).
  Com um bom trabalho a nível de guarda-roupa e da decoração dos cenários (visível na procura de exibir vários elementos de época, incluindo tabuletas segregacionistas), “Lawless” tem as suas maiores forças no elenco competente, no humor negro e no facto ser esteticamente bem elaborado, mas perde-se nas suas fraquezas, nomeadamente uma violência excessiva (e incomodativa), vários clichés do género e uma narrativa que é demasiado pobre para a sua duração. Entre boas interpretações, um trabalho adequado a nível de cenários e guarda-roupa, “Lawless” perde-se na sua violência extrema, contando com um Tom Hardy com um físico à Bane para abanar com uma história por vezes demasiado simplista, na qual os valores familiares, de amizade, sentido de justiça aparecem exacerbados, mas nem sempre bem desenvolvidos. O período compreendido entre 28 de Outubro de 1919 e 22 de Março de 1933 tem inspirado várias obras cinematográficas. Desde “The Roaring Twenties”, “The Public Enemy”, “Scarface”, vários foram os filmes que apresentaram narrativas inspiradas nos gangsters que povoavam este período. Sem a graciosidade e engenho dos filmes anteriormente citados, “Lawless” mescla a lenda sobre os irmãos Bondurant com uma representação duríssima do período da lei seca, uma obra onde a violência exacerbada esconde uma narrativa limitada, mas filmada com grande estilo.

Classificação: 3.5 (em 5)


Ficha técnica:
Título Original: “Lawless”.
Título em Portugal: “Dos Homens Sem Lei”.
Título no Brasil: “Os Infratores”.
Realizador: John Hillcoat.
Guião: Nick Cave.
Elenco: Jessica Chastain, Shia LaBeouf,, Tom Hardy, Dane DeHaan, Gary Oldman, Guy Pearce, Mia Wasikowska, Jason Clarke.

Sem comentários: