24 outubro 2012

Resenha Crítica: "A Casa do Fim da Rua" (House at the End of the Street)

 Entre clichés, diálogos pouco elaborados, um argumento que não consegue dar substância aos mais de cem minutos de duração do filme, “A Casa do Fim da Rua” perde-se por completo na falta de engenho do realizador Mark Tonderai e no tépido argumento de David Loucka.
 Apesar desta inaptidão da equipa criativa, o filme conta com uma estrela em ascensão como protagonista, a bela e talentosa Jennifer Lawrence, uma actriz muito popular pelos seus desempenhos em “X-Men: First Class”, “The Hunger Games” e pela nomeação ao Óscar de Melhor Actriz por “Winter´s Bone”. Para o caso de se estarem a questionar sobre a possibilidade da actriz estar com um perfil de escolha de trabalhos “à Nicolas Cage”, importa salientar que o envolvimento de Lawrence em “House at the End of the Street”, surge antes de ter protagonizado “X-Men” e “The Hunger Games”, ou seja, bem antes da sua popularidade explodir junto do público, tendo o estúdio decidido adiar a estreia de forma a aproveitar o sucesso de Lawrence.
 Jennifer Lawrence interpreta Elissa, uma jovem adolescente que se muda para uma casa nova com a mãe (Elisabeth Shue), uma mulher recém-divorciada que tem notórios problemas de relacionamento com a filha. Se a casa onde as duas habitam não parece ter qualquer problema, o mesmo não se pode dizer da casa ao “fim da rua”, onde os seus donos foram supostamente assassinados pela filha, encontrando-se actualmente inabitada, enquanto a rapariga anda a monte. Pelo menos era o que Elissa e Sarah pensavam, no entanto, logo se deparam com a presença de Ryan (Max Thieriot), o filho do casal assassinado e vários mitos urbanos.
  Aos poucos Sarah e Elissa vão procurar integrar-se no seu novo bairro, no qual encontram um variado grupo de personagens que reúne no seu interior todos os clichés do filme do género, ora vejamos: Tyler (Nolan Gerard Funk) é o rapaz arrogante e mimado, Jillian (Allie MacDonald) é a rapariga desajustada, Weaver (Gil Bellows) é o polícia simpático que promete ser carne para canhão. Deste vasto conjunto de personagens, Elissa estabelece uma relação de amizade (e algo mais) é com o misterioso Ryan, uma relação que promete trazer graves e perigosos problemas à rapariga, sobretudo quando os esqueletos do armário do rapaz começam a ser revelados. 
 Ao terminar de ver "House at the End of the Street" é impossível não reparar na enormidade de clichés, maus diálogos e algumas péssimas interpretações que o filme contém. Ora vejamos. Não falta a família disfuncional, a adolescente com problemas com um familiar (neste caso a mãe), personagens estereotipados, um rapaz que guarda um conjunto de perigosos segredos, personagens que servem apenas para serem eliminados, entre muitos outros que poderiam por aqui ser expostos. Esta estrutura recheada de clichés, que pouco surpreende e pouco assusta o espectador é mais sentida se tivermos em conta a realização pouco inspirada de Mark Tonderai, o mau argumento do filme e interpretações tão desprovidas de sentimento e carisma como os desempenhos de Elisabeth Shue e Max Thieriot, salvando-se uma Jennifer Lawrence em piloto automático, que sobressai não só pelo seu desempenho, mas também pelo enfoque da câmara no seu belo corpo.
 Sem impressionar o espectador, sem assustar, com poucos momentos de tensão, "A Casa ao Fim da Rua" procura ainda mesclar os elementos de thriller do filme com um pouco de romance, em particular de Elissa com Ryan, ainda que sem grande sucesso, ao mesmo tempo que atira com subtramas que inexplicavelmente não desenvolve (sobretudo se tivermos em conta a duração do filme), onde não falta Elissa participar numa banda com a qual raramente a vimos interagir, ter uma afinidade com o pai devido ao gosto de ambos pela música mas raramente a vemos a falar do mesmo, a relação da protagonista com a mãe, a amizade entre Jillian e a protagonista nunca passa da mais pura artificialidade, ou seja, é inacreditável a facilidade que este filme tem em desaproveitar as suas temáticas.
 Tudo somado e temos um thriller que vale pela sua protagonista, onde alguns momentos de maior tensão esbatem-se na inabilidade do seu realizador, argumentista e alguns elementos do elenco, um thriller como muitos outros que estreiam nas salas de cinema com o único propósito de fazer dinheiro graças ao nome do seu/sua protagonista, onde os sustos e os sentimentos despertados surgem sujeitos a grande austeridade. "A Casa do Fim da Rua" é uma soma de vários erros, uma cacofonia de oportunidades desaproveitadas, um filme a fazer lembrar tantos outros thrillers insípidos, embora tenha uma actriz talentosa como protagonista. Jennifer Lawrence não merecia ter uma obra assim no seu currículo.

Classificação: 1 (em 5)

Ficha técnica:
Título Original: “House at the End of the Street".
Título em Portugal: "A Casa do Fim da Rua".
Título no Brasil: "A Última Casa da Rua".
Realizador: Mark Tonderai.
Argumento: David Loucka.
Elenco: Jennifer Lawrence, Elisabeth Shue, Max Thieriot, Gil Bellows, Krista Bridges, Eva Link, Nolan Gerard Funk, Allie MacDonald.

 Crítica em colaboração com a Take Cinema Magazine: https://www.facebook.com/take.com.pt

Sem comentários: