28 maio 2012

Séries que nos Marcam: "Camilo na Prisão"

O espaço "Séries que nos marcam" está de regresso ao Rick´s Cinema, após algumas semanas de ausência (quase um mês). Inaugurada no dia 11 de Novembro de 2011, já passaram por esta rubrica, séries como "Herman Enciclopédia", "Nico d´Obra", “Nós os Ricos”, "Médico de Família", , “Sai de Baixo”,"Yes Minister",Major Alvega”, "Tudo Ao Molho e Fé em Deus", a série algo esquecida "Sozinhos em Casa" e a muito popular "O Fura-Vidas", entre outras. Dezasseis séries, marcadas pela qualidade e pelos grandes momentos que proporcionaram aos espectadores.

O décimo sétimo post desta rubrica é dedicado a "Camilo na Prisão", uma sitcom protagonizada por Camilo de Oliveira e exibida pela SIC entre 3 de Maio a 23 de Agosto de 1998. A série conquistou audiências consideráveis ao longo dos dezassete episódios exibidos e confirmou a popularidade considerável de Camilo de Oliveira, que ressurgiu em grande na SIC com séries como "Camilo & Filho Lda." (1996) e "As Aventuras de Camilo" (1997).  A série foi posteriormente reposta pela SIC e exibida ainda na SIC Comédia e na SIC Gold (dois canais que fazem alguma falta).
Inspirada na sitcom inglesa "Porridge", "Camilo na Prisão" apresenta a história de Camilo dos Anjos Libertino, um indivíduo que foi condenado a cinco anos de prisão por crimes de roubo e burla, que aos poucos começa a controlar a prisão e a gerar a confusão. A acompanhar Camilo na cela da prisão encontrava-se Artur Mariano (Joaquim Nicolau), um presidiário de vinte e seis anos de idade, um indivíduo com aspecto algo ingénuo, que foi preso por roubo e invasão e que foi preso pela primeira vez.

 Camilo tinha ainda de lidar na prisão com os guardas prisionais, entre os quais, o Guarda Chaves (Henrique Viana) e o Guarda Plácido (Carlos César). Chaves é o exemplo de rigor e disciplina, enquanto Plácido é o exemplo do polícia simpático, no entanto, ambos acabavam quase sempre por ver-se envolvidos nas confusões criadas por Camilo e ser ultrapassados pela "velha raposa" das prisões. A prisão era liderada pelo personagem interpretado por Luís Alberto, um indivíduo tão preocupado com os peixes do seu aquário como pelo funcionamento da prisão.

Tal como grande parte das séries protagonizadas por Camilo de Oliveira, "Camilo na Prisão" dependia quase exclusivamente do seu protagonista, visto que todo o enredo passava por este. Não deixa de ser curioso que a carreira de Camilo tenha conhecido um ressurgir tão significativo a nível televisivo na SIC, após um período de ocaso na carreira televisiva do actor. Conhecido nos anos 80 pelo seu papel fundamental em "Sabadabadu" (1981), onde contracenava ao lado de talentos como Ivone Silva (que grande dupla faziam) e "O Passeio dos Alegres", Camilo de Oliveira ressurge em grande na SIC com "Camilo & Filho Lda." e consegue audiências surpreendentes na série protagonizada por si e pelo (então talento em ascensão) Nuno Melo.
"Camilo na Prisão" apresenta um retrato leve e divertido sobre a vida na prisão, a série procura satirizar a vida nas instituições prisionais nacionais, sempre sem ofender ninguém e com grandes doses de boa disposição. A estrutura dos episódios não variavam muito e focavam-se sobretudo nas peripécias de Camilo na instituição prisional em que se encontra preso e a forma como este agitava o local e todos os que orbitavam à sua volta. É verdade, nem os colegas, nem os guardas prisionais escapavam à argúcia de Camilo, que tinha uma perspicácia fora do vulgar, a ponto de nem o director da prisão (Luís Alberto) escapar das suas vigarices. Como não poderia deixar de ser, os episódios da série terminavam sempre com o personagem de Camilo de Oliveira a utilizar uma frase de efeito, no caso, "Lá fora está-se pior, está-se, está-se... está-se". A escolha para este jargão é bem fácil de perceber e é explicado no segundo episódio da série "tu já viste como está o país? O desemprego, o custo de vida, um indivíduo sem ter nada para fazer e o que é que lhe resta, ir para a cama mais cedo e aumentar a população".

Na prisão, a relação de Camilo com Mariano acabava muitas das vezes por parecer uma relação entre pai e filho, com o veterano prisioneiro a aconselhar sempre o novato a agir da melhor maneira e a ajuda-lo a sobreviver na dura vida na prisão. Por sua vez, a relação entre Camilo e os guardas nem sempre era a melhor, embora nutrisse alguma simpatia por Plácido.
Em "Camilo na Prisão", Camilo de Oliveira coloca um brinco, dá largas ao seu lado mais sarcástico e espertalhão e diverte o público, enquanto lidera um elenco recheado de caras conhecidas. A acompanha-lo encontrava-se Joaquim Nicolau como Mariano, Henrique Viana ("Sozinhos em Casa") como Guarda Chaves, o malogrado Carlos César ("Jardins Proibidos") como Guarda Plácido e ainda as presenças regulares de Luís Alberto ("Conta-me como Foi") como Director da Prisão, entre outros. A série contava ainda com alguns convidados especiais que refrescavam o enredo, entre as quais Paula Marcelo.

"Camilo na Prisão" dependia bastante de Camilo de Oliveira para divertir o espectador, no entanto, isso não impede que seja uma sitcom leve e divertida que proporciona bons vinte e poucos minutos ao espectador, enquanto vê Camilo dos Anjos Libertino a semear o caos pela prisão. Sem dúvida, é uma das "séries que nos marcam".

Sem comentários: