27 maio 2012

Resenha Crítica: "Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa"

As obras literárias de Júlio Verne são bastante populares ao redor do Mundo, tendo encantado gerações ao longo dos anos e levado à adaptação de alguns livros para o pequeno e grande ecrãs. Destas últimas, algumas tiveram sucesso, outras fracassaram por completo, e outras ainda ficaram-se pela mediania. Em 2008, estreou “Journey to the Center of the Earth”, realizado por Eric Brevig e protagonizado por Brendan Fraser e Josh Hutcherson. Como o nome indica, o filme era inspirado na obra “Viagem ao Centro da Terra”, de Júlio Verne, e obteve um sucesso considerável, a ponto de ter sido feita uma sequela, “Journey 2: The Misterious Island”, também ela inspirada num livro de Verne, “A Ilha Misteriosa”.
Para esta película regressa Josh Hutcherson (protagonista do primeiro filme), sai Brendan Fraser e entra para o seu lugar Dwayne “The Rock” Johnson, o realizador Eric Brevig foi substituído por Brad Peyton (o mesmo de “Cats & Dogs: The Revenge of Kitty Galore”), entre outras alterações. Ao contrário do primeiro filme, em “Journey 2: The Misterious Island”, os protagonistas não partem em direcção ao centro da Terra, mas sim em busca de uma Ilha Misteriosa (cuja localização, afinal, não era assim tão difícil de encontrar).
Tudo começa quando Sean Anderson recebe uma mensagem codificada com umas palavras inicialmente indistinguíveis, que remetem para a “Ilha do Tesouro” de Robert Louis Stevenson, “As Viagens de Gulliver” de Jonathan Swift e “A Ilha Misteriosa” de Júlio Verne, três obras que se desenrolam em locais distintos que, aparentemente, são o mesmo sítio. Sean acredita que esta mensagem foi enviada pelo seu avô, Alexander Anderson (Michael Caine), e decide partir em busca do familiar que se encontra desaparecido. A acompanhá-lo encontra-se o padrasto Hank Parsons (Dwayne Johnson), que vê nesta viagem uma oportunidade para criar laços de proximidade com Sean, algo que tem sido muito complicado, visto que o adolescente nunca o aceita como figura paternal. Ao chegarem a Palau, estes deparam-se com Gabato (Luís Guzmán) e a sua bela filha Kailani (Vanessa Hudgens), que logo desperta a atenção de Sean (e dos espectadores masculinos). Apesar da relutância inicial da filha, Galato transporta os intrépidos exploradores em direcção às coordenadas da mensagem enviada a Sean, e o quarteto segue em direcção ao local onde, supostamente, se encontraria a ilha misteriosa e o avô do protagonista. O grupo, no entanto, irá logo deparar-se com uma terrível tempestade, que coloca as vidas dos seus elementos em perigo. Na ilha, o grupo acaba por deparar-se com todo um cenário exótico de enorme beleza, mas recheado de enormes perigos, e, enquanto procuram Alexander (Michael Caine), terão que lutar por sair vivos da Ilha.
Apesar dos diversos elementos de fantasia, humor e diversão, “Journey 2: The Misterious Island” nunca consegue atingir o potencial do material literário do qual tirou inspiração, mas não deixa de ser um filme de aventuras leve e despretensioso. Brad Peyton inventa pouco e repete a fórmula do primeiro filme, transportando os espectadores para um cenário bastante interessante, ao mesmo tempo que tira proveito da apetência de Dwayne Johnson para os filmes para toda a família.
É verdade, o musculado astro que estamos habituados a ver em filmes de acção e nos ringues de wrestling, tem também uma faceta bastante competente de protagonista de obras cinematográficas para toda a família, que já tinha mostrado com sucesso em “The Game Plan” (2007), “Race to Witch Mountain” (2009) e “Tooth Fairy” (2010). Em “Journey 2: The Misterious Island”, o eterno “The Rock” canta, luta, corre, ensina lições ao personagem de Josh Hutcherson e ainda faz um perturbador jogo com o seu musculado peito. Longe vão os tempos em que Dwayne Johnson era apenas conhecido como o tipo musculado que veio do mundo da luta livre, pois o actor sabe, cada vez melhor, aproveitar a aderência que tem junto do público e do grande à vontade que demonstra em frente às câmaras, mesmo nas situações mais constrangedoras. Não que tivesse um desempenho genial, no entanto, também não desilude e consegue gerar alguns sorrisos. A acompanhar “The Rock” encontra-se Josh Hutcherson, novamente como protagonista do filme, sendo o grande elo de ligação com a primeira obra cinematográfica da saga, e Vanessa Hudgens como o interesse amoroso de Sean (e pouco mais do que isso). Para além deste trio, é impossível não destacar um Michael Caine numa interpretação em “piloto automático”, mas recheada de carisma e do estilo bon vivant que o caracteriza, e de Luís Guzmán, o alívio cómico e um dos personagens mais simpáticos do filme. (clicar em mais informações para ler a crítica completa)




O maior ponto fraco do filme passa pelo seu argumento, com os guionistas a não saberem tirar partido das obras literárias em que se basearam (nomeadamente “Ilha do Tesouro”, de Robert Louis Stevenson, “As Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift e “A Ilha Misteriosa”, de Júlio Verne), misturando vários dos elementos de cada uma, mas oferecendo muito pouco de ambas, num enredo repleto de lacunas, feito para exacerbar a utilização da tecnologia 3D. Para além das obras nunca serem devidamente aproveitadas, o mesmo se pode dizer das várias temáticas que são lançadas em direcção ao espectador, mas raramente desenvolvidas, nomeadamente a relação entre Sean e Hank, o relacionamento (ou falta dele) entre Hank e o avô e a relação entre Sean e Kailani, ou seja, o forte do filme é mesmo os seus cenários e efeitos, pois as relações humanas nunca chegam a ultrapassar uma superficialidade evidente.
O que impressiona mais é que, apesar de todas as falhas a nível do argumento, “Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa” consegue ser um filme de aventuras divertido e agradável, que não impressiona mas também não desilude, bastante simples e que sabe, como poucos filmes, tirar partido dos cenários criados e utilizá-los ao serviço do enredo. Os cenários da Ilha Misteriosa são, de facto, um dos pontos fortes da obra, com a equipa a desenvolver um trabalho extraordinário no sentido de criar toda uma envolvência que impressione o espectador. Para além de aparecer repleto de locais exóticos de grande beleza, o cenário aparece ainda preenchido com diversos animais, com a dimensão invertida à que estamos habituados a ver, ou seja, todas as criaturas que, no resto do mundo, são de pequeno porte, na Ilha, são enormes, e vice-versa. Os elefantes liliputianos são do tamanho de um caniche, as abelhas são gigantes e podem servir de transporte, os lagartos são descomunais e capazes de aguentar com um “cookie punch” de “The Rock”, entre muitas outras espécies criadas para chamar a atenção do espectador.
Num filme de aventuras, não podem faltar algumas cenas de maior acção e intensidade, e nisso “Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa” apresenta alguns elementos interessantes, nomeadamente a da perseguição, por parte de um pássaro gigante, aos protagonistas, que fogem em abelhas, e a épica cena entre um lagarto gigante e “The Rock”, que só não acaba em tragédia graças ao avô de Sean. Estas cenas foram desenvolvidas para tirar partido da tecnologia 3D e, no entanto, continuam a causar um efeito bastante positivo quando vistas em 2D.
"Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa” segue na linha do primeiro filme e, sem a presença de Brendan Fraser, mas com a participação de Dwayne Johnson, Michael Caine, Vanessa Hudgens e o divertido Luiz Guzmán, é um filme de aventuras leve divertido e despretensioso, inspirado em vários clássicos da literatura. Embora o argumento apresente uma coesão pouco recomendável e esteja muito longe de conseguir aproveitar o material literário no qual se inspirou, “Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa” é agradável e transporta o espectador para uma ilha encantada e recheada de perigos, que coloca os protagonistas perante algumas decisões complicadas e o espectador perante uma hora e meia de puro entretenimento. Um filme para toda a família, que não tem ambições maiores do que proporcionar uns momentos agradáveis à audiência.

Classificação: 2.5 (em 5)

Ficha técnica:
Título Original: Journey 2: The Mysterious Island
Título em Portugal: Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa
Título no Brasil: Viagem 2: A Ilha Misteriosa.
Realizador: Brad Peyton.
Guião: Richard Outten, Mark Gunn e Brian Gunn.
Elenco: Dwayne Johnson, Michael Caine, Josh Hutcherson, Vanessa Hudgens, Luís Guzmán, Kristen Davis.

Sem comentários: