24 abril 2012

Entrevista a Felippe Gonçalves sobre "S9 - David Grachat"

Um dos projectos cinematográficos que cativou recentemente a nossa atenção foi "S9 - David Grachat", um documentário realizado por Felippe Gonçalves. O documentário acompanha o quotidiano, as dificuldades, angústias e ansiedades de David Grachat, um jovem portador de deficiência física para se tornar num atleta de alto rendimento. Grachat compete na classe S9 de natação adaptada e irá brevemente representar a nossa selecção nos Jogos Paralímpicos de Londres.

Apesar de ainda não ter sido exibido em circuito comercial, "S9 - David Grachat" já foi exibido em alguns festivais e mostras de cinema, entre os quais a terceira edição do Festival de Cinema Digital de Odemira no qual foi distinguido com o segundo prémio (para Melhor Documentário). Tendo em conta o que já tivemos a oportunidade de ver, esta foi a primeira de muitas distinções que o documentário de Felippe Gonçalves irá receber e esperamos que brevemente esteja em sala para conquistar os portugueses.

No âmbito da divulgação de "S9 - David Grachat", o Rick´s Cinema teve a oportunidade (e grande prazer) de entrevistar o realizador Felippe Gonçalves. A entrevista reflecte o empenho e dedicação que Felippe Gonçalves colocou no projecto e promete certamente cativar a atenção dos nossos leitores. Aproveito desde já para agradecer a amabilidade e simpatia de Felippe Gonçalves em conceder-nos esta entrevista que certamente enriquece os conteúdos do Rick´s Cinema e esperamos que ajude a divulgar o documentário. Fiquem com a entrevista a Felippe Gonçalves:


Rick´s Cinema: Como nasceu a ideia de realizar “S9 – David Grachat”?

Felippe Gonçalves: Nasceu durante o meu último ano no curso de Cinema na Universidade da Beira Interior. Tive então a cadeira de Projecto Final na qual tive a oportunidade de realizar um projecto pessoal. Optei pela área do documentário por ser aquela que actualmente da-me mais prazer trabalhar. Sempre fui uma pessoa muito ligada ao desporto em geral e dado aos poucos apoios existentes, a falta de divulgação, enfim, a uma estrutura ainda bastante limitada que caracteriza o desporto adaptado em Portugal, pensei que poderia contribuir com algo neste sentido.

Rick´s Cinema: Porquê a escolha de David Grachat como protagonista do documentário? O que o cativou no atleta?

Felippe Gonçalves: Antes de escolher um atleta, escolhi um desporto. Esta foi a primeira decisão a ser tomada. Muito devido ao facto de já ter sido practicante quando miúdo e pelo impacto visual que poderia conseguir com o elemento água no documentário, estive desde cedo motivado em fazer algo a volta da natação. Quando comecei o processo de pesquisa, li bastante até decidir qual atleta escolher. Optei pelo David por ser uma pessoa descontraída, feliz... e acima de tudo por ser jovem mas com bastante bagagem a nível competitivo, como por exemplo pelo facto de já ter participado em um Jogos Paralímpicos. Sempre acreditei que seria importante ter os testemunhos de quem já tinha vivido esta experiência.

Rick´s Cinema: Como reagiu David Grachat ao convite efectuado por si?

Felippe Gonçalves: Muito bem. Ficou bastante entusiasmado com o projecto, o que para mim foi também extremamente importante, ter esta segurança desde o início por parte dele. O David aceitou de imediato e mostrou-se disponível para ajudar no que estivesse ao seu alcance. Agradeço bastante e provavelmente o documentário seria diferente caso o David e seus pais não tivessem tido uma postura tão amiga e compreensiva diante do projecto.

Rick´s Cinema: Ao realizar um documentário sobre David Grachat teve de acompanhar o quotidiano do atleta durante algum tempo. Como foi para si esta experiência?

Felippe Gonçalves: Hoje, cerca de um ano depois de ter feito o principal bloco de rodagens, já sinto saudades. Por ter sido o meu primeiro projecto com uma estrutura de produção algo exigente e carente de apoio financeiros, foi sem duvida uma experiência importante pela necessidade de aprender a fazer cinema com as condições mínimas de produção. A nível cinematográfico, várias lições de aprendizagem durante as rodagens do documentário. Uma delas, que se contamos com uma equipe unida e motivada, temos a base principal para cumprir os nossos objectivos.

Rick´s Cinema: Para elaborar o documentário teve de seguir diariamente David Grachat. Foi fácil colocar o atleta à vontade perante a câmara?

Felippe Gonçalves: Sim, o David reagiu muito bem a amara desde o início. A única coisa que lhe pedi desde o primeiro contacto que tivemos foi para que ele fosse ele próprio, que tentasse esquecer que estava alguma câmara apontada para si, até porque, não queria de forma alguma ser um empecilho para ele ou para o treinador Carlos Mota durante os treinos.

Rick´s Cinema: Um dos vários momentos do documentário que impressionou-me bastante é o esforço e a dedicação que o atleta coloca nos seus treinos. Teve algum momento durante os dias em que acompanhou Grachat que ficasse mais impressionado pelo atleta?

Felippe Gonçalves: Sim, aconteceu duas vezes. A rotina diária em Lisboa de ir treinar ainda antes do sol nascer impressiono-me um pouco nos primeiros dias de rodagens. Também em Serra Nevada durante o estagio em altitude. Apesar de haver momentos de lazer e descontração dentro do Centro de Alto Rendimento, senti que torna-se extremamente forte quer a nível físico quer psicológico aguentar cerca de três semanas isolados com o único objectivo de melhorar os resultados desportivos.

Rick´s Cinema: Teve de deixar de fora algumas cenas que sentia serem importantes para o documentário?

Felippe Gonçalves: Que considerasse realmente importante sim, houve uma cena. Seria importante que ficasse não tanto a nível narrativo, mas sim estético, mas infelizmente não foi possível. Houveram sim foram vários momentos de escolha. Por vezes temos duas cenas interessantes mas apenas pode-se utilizar uma... Como optei desde o início em ter muito material bruto, de certa forma já estava a espera disso. Não se pode utilizar tudo. No processo de montagem se seguimos com a estrutura narrativa para um determinado caminho não se pode estar “agarrado” a uma cena em específico apenas por conter um plano ou um diálogo interessante. Acredito que coerência é uma das palavras chave para não ter cenas introduzidas a força e sem sentido narrativo.

Rick´s Cinema: Um factor que atraíu-me bastante no documentário foi o facto de nunca ter entrado pelo caminho de retratar os atletas com deficiências como “coitadinhos”, mas sim como atletas de alta competição, lutadores e com um enorme força de vontade para ultrapassar as adversidades. Espera que o seu comentário contribua para mudar mentalidades em relação a estes atletas?

Felippe Gonçalves: A abordagem que fiz foi realmente esta. Foi um objectivo que estava traçado desde cedo: tratar todo este universo da natação adaptada com naturalidade e sem cepticismos ou melancolias. Mas daí a saber se “S9 – David Grachat” irá contribuir ou não para esta mudança de mentalidade, apenas sabendo se conseguirá ou não estar acessível pelo menos a quem gosta de cinema e/ou deporto em Portugal. Tal como o David, acredito também que seria importante que houvesse distribuição do documentário para que se possa dar um passo em frente relativamente a mentalidade da sociedade em relação aos atletas paralímpicos.

Rick´s Cinema: David Grachat representa Portugal na classe S9 de natação adaptada. Parte dos nossos leitores certamente não está familiarizada com a natação adaptada e as classes de cada atleta. Pode esclarecer-nos um pouco sobre este desporto?

Felippe Gonçalves: Sim, com certeza. Essa foi uma parte que não explorei em demasia no documentário e que por vezes podem pensar o porque de não ter dado maior importância a isso. Mas teve uma razão: queria que o documentário fosse sobre o David e não sobre a natação adaptada. Mas de forma bastante resumida, os atletas são divididos por classes, de acordo com o seu grau de deficiência. No caso das deficiências motoras, para os nados livre, costas e mariposa, os atletas são divididos entre as classes S1 e S10, onde na classe S1 estão os atletas com maior grau de deficiência. Existem também as classes SB2-SB9 para o nado bruços e SM3-SM10 para o medley individual. Os atletas com deficiência visual são classificados nas classes S11/S12/S13. Isso de forma bastante resumida. Ou seja, incluir isto no documentário a meu ver tornaria-o exaustivo e fugiria de certa forma do David para entrar em demasia no desporto. Espero que tenha conseguido esclarecer o básico.

Rick´s Cinema: A natação é um desporto que o atrai?

Felippe Gonçalves: Sim, sem dúvida. Apesar de não acompanhar com grande frequência as notícias e acontecimentos da modalidade, mantenho-me actualizado e atento as grandes competições.

Rick´s Cinema: Sente que o seu documentário poderá ajudar a captar a atenção do público em relação aos atletas com deficiências físicas que tanto honram Portugal nas várias competições?

Felippe Gonçalves: Acredito que para tal será fundamental que durante os próximos meses consiga ser exibido a nível nacional.

Rick´s Cinema: O que o público pode esperar de “S9 – David Grachat”? Qual a mensagem que tentou passar?

Felippe Gonçalves: Um documentário sobre o atleta, as dificuldades a nível desportivo, as alegrias, os amigos...enfim, tudo o que o desporto de alta competição exige e oferece ao David. E claro, com a principal mensagem de darmos mais valor não apenas ao David mas a todos estes atletas que independentemente do grau de deficiência e do desporto, sentem imenso orgulho em representar Portugal.

Rick´s Cinema: O cinema português nem sempre tem grande apoio por parte da imprensa, do público, dos patrocínios e até de apoios das entidades governamentais. Contou com algum apoio durante a elaboração do documentário?

Felippe Gonçalves: Sim, tive alguns apoios, mas na situação actual do país torna-se complicado pedir apoios, principalmente quando estamos a falar ainda de um projecto académico. Contei com um apoio por parte do protocolo ICA/UBI mas que não foi o suficiente para cobrir todo o orçamento. Felizmente tive também um patrocínio estremamente importante por parte da Junta de Freguesia de Santa Iria de Azóia. Houveram também outras empresas que contribuíram com apoios logísticos.

Rick´s Cinema: Depois de ver “S9 – David Grachat” fiquei logo com uma pergunta na cabeça “quando é que estreia em sala?”. Aproveito a entrevista para poder perguntar-lhe: Teremos “S9 – David Grachat” a ser exibido em circuito comercial?

Felippe Gonçalves: Seria óptimo, mas até o momento não há nada em concreto. Este mês estivemos com documentário em Cannes no MipTV a procura de distribuição. Desta forma durante os próximos meses os esforços serão neste sentido de dar uma maior visibilidade ao documentário e tentar introduzi-lo em circuito comercial. Entretanto temos a porta o Curtas Vila do Conde e o FEST, festivais de relevo nos quais seria importe marcar presença.

Rick´s Cinema: Sempre pensou ser realizador de cinema? O que o motiva nesta função?

Felippe Gonçalves: Não, na verdade comecei por estudar Engenharia Informática. Pensei por alguns anos que seriam os computadores os meus fiéis companheiros, mas enganei-me, na verdade são as câmaras e os grandes ecrãs! Motiva-me o facto de podermos transmitir um pouco de nós como pessoa para o público em geral. Tentei com “S9 – David Grachat” apesar de abordar o David, adicionar sentimentos e emoções que fazem parte de mim e que sem os quais, teríamos um outro documentário. Melhor ou pior, não é essa a questão, mas sem a sensibilidade pessoal que considero importante como realizador vincar.

Rick´s Cinema: Já conta com novos projectos cinematográficos para o futuro?

Felippe Gonçalves: Sim. Como produtor estamos a terminar a curta-metragem Caloira, realizada pelo Cristiano Guerreiro. Uma comédia académica com Ivo Luz e António Évora. Para realizar estou a fazer a pré-produção de outro projecto dentro do desporto, mais especificamente sobre Londres 2012. Espero poder adiantar mais pormenores em breve!


Rick´s Cinema: Felippe Gonçalves, muito obrigado pelo tempo disponibilizado para responder às nossas perguntas, foi um prazer poder ter colocado estas questões. Votos de maior sucesso para "S9 - David Grachat". Ficamos à espera dos próximos projectos. 

Sigam a página de "S9 - David Grachat" no Facebook: https://www.facebook.com/s9themovie

Fiquem aqui com a crítica de Aníbal Santiago a "S9 - David Grachat": http://bogiecinema.blogspot.pt/2012/04/resenha-critica-s9-david-grachat.html

1 comentário:

H. Barcelos disse...

Excelente entrevista e um muito obrigado ao Felippe Gonçalves por ter pensado em nós, por nos ter enviado o filme e ter concedido a entrevista!