30 abril 2012

Curtas de Animação às Segundas: "Vincent"

Hoje é Segunda-feira e por isso dia de "Curtas de Animação às Segundas", no Rick´s Cinema. Esta é uma rubrica que visa apresentar algumas curtas-metragens de animação de qualidade, sejam estas conhecidas do grande público ou relativamente desconhecidas. Por este espaço tanto podem passar curtas de animação portuguesas como estrangeiras, sempre acompanhados com um breve texto de apresentação, que visa apresentar a curta-metragem em questão aos leitores. Importa salientar que por este espaço já passaram curtas como Bats in the Belfry; Sem Dúvida Amanhã (2006); "The Old Lady and the Pigeons"; "História Trágica Com Final Feliz", entre outras.

O post desta Segunda-Feira é dedicado a "Vincent", uma curta-metragem elaborada em stop-motion, escrita e realizada pelo prestigiado Tim Burton ("Frankenweenie"). A curta foi lançada originalmente em 1982, ao lado da longa-metragem "Tex" e esteve em exibição em sala ao longo de duas semanas, e posteriormente foi exibida em vários Festivais e Mostras de Cinema ao redor do Mundo, tendo conquistado o público e a crítica. Entre as várias distinções que a curta-recebeu encontra-se o Prémio do Júri no prestigiado Annecy Film Festival em França.

"Vincent" marcou o primeiro trabalho de Tim Burton nos estúdios da Walt Disney Pictures, após ter despertado a atenção dos responsáveis do estúdio. A curta foi um projecto muito pessoal de Burton, que há primeira vista não encaixava nos canons da Disney, ao apresentar uma história algo negra, sobre um jovem fã de Vincent Price e Edgar Allan Poe, ou seja, um jovem muito semelhante a... Tim Burton. Não deixa de ser curioso que Burton tenha iniciado a sua carreira num estúdio muitas das vezes associado a algum conservadorismo nas suas temáticas, algo que não parece ter pesado na escolha do então inexperiente realizador, que mais tarde veio a tornar-se num realizador de grande sucesso a nível do público e da crítica. Posteriormente, Burton realizou no estúdio a curta "Frankeweenie" que custou-lhe o despedimento por ser considerada demasiado negra e assustadora para o público infantil.

O enredo de "Vincent" é inspirado num poema da autoria de Tim Burton e acompanha Vincent Malloy, um jovem adolescente que pretende ser um actor como Vincent Price (o narrador da curta e um dos ídolos de Burton) e que é obcecado pelos contos de Edgar Allan Poe. Vincent é um rapaz sonhador que deixa-se absorver pela sua imaginação e pelos sonhos mais negros e pelos textos de Poe. Entre o sonho e a realidade, Vincent emerge num mundo deliciosamente sombrio e criativo que não deixará ninguém indiferente.

"Vincent" arrebata-nos para o interior dos sonhos (ou serão pesadelos?) de Vincent, um jovem deslocado da sociedade, que evade-se da realidade através dos filmes de Vincent Price e dos textos de Edgar Allan Poe. Este é marcadamente um personagem de Tim Burton, um indivíduo que tal como Eduardo Mãos de Tesoura, Ed Wood, Willy Wonka, entre muitos outros, não parece encaixar-se na sociedade do seu tempo. Mais do que um personagem de Tim Burton, Vincent acaba por ser o reflexo do seu criador. Ambos são figuras meio deslocadas, admiradoras do oculto, dos filmes e da literatura de terror, que procuram expressar os seus sentimentos e dos seus sonhos através do processo criativo, seja este processo a arte de representar (no caso de Vincent) ou a arte de realizar filmes (no caso de Burton).

A curta-metragem aparece ainda recheado de elementos típicos dos filmes de terror de série B, daqueles pelos quais Vincent Price ficou conhecido (e que Burton tanto admira), ao mesmo tempo que procura emular os cenários e o jogo de luz e sombra das obras cinematográficas do chamado "expressionismo alemão" ou "caligarismo". A inspiração do expressionismo alemão aparece também no universo distorcido criado por Burton, eivado de elementos transcendentes e horripilantes que simbolizam as dificuldades de Vincent no mundo real. A juntar a todos estes elementos, Burton conta ainda com a narração da lenda do cinema de terror, Vincent Price que empresta a sua voz (e o nome) a Vincent.

"Vincent" apresenta a genialidade e criatividade de Tim Burton na sua essência, ao mesmo tempo que homenageia os heróis da sua juventude. Embora seja um dos trabalhos iniciais de Tim Burton, "Vincent" apresenta vários traços transversais às obras cinematográficas de Burton, entre os quais, o protagonista deslocado da sociedade, o humor negro, os cenários distorcidos, um estilo algo gótico que surpreende e arrebata o espectador ao mesmo tempo que emerge-o no universo aterrorizador dos sonhos de Vincent.

Desde a estreia de "Vincent", Tim Burton coleccionou vários êxitos e poucos fracassos, angariou fãs e tornou-se num realizador popular. Vincent Price e Edgar Allan Poe faziam sonhar Vincent, o protagonista da curta-metragem homónima. Curiosamente, ou talvez não, estas duas figuras também faziam sonhar Tim Burton, que vinte anos depois de ter realizado a curta apresentada nesta rubrica, continua a encantar o público com os seus trabalhos cinematográficos, muito marcados por um estilo muito próprio que conheceu a sua génese nesta curta. 

Fiquem agora com "Vincent":

Sem comentários: