28 fevereiro 2012

Fora de Tempo: Trecho de Noite Escura

João Canijo é um dos mais prestigiados realizadores portugueses da actualidade. Goste-se ou não do seu estilo, o realizador conta no currículo com várias obras de sucesso junto do público e da crítica, onde constam títulos como "Sapatos Pretos" (1998), "Ganhar a Vida" (2001), "Noite Escura" (2004) e mais recentemente "Sangue do Meu Sangue". Entre as obras cinematográficas mencionadas, confesso que a minha preferida é "Noite Escura", um drama intenso que é incapaz de deixar alguém indiferente. A minha preferência pelo filme, leva a que este seja o escolhido para o septuagésimo post da rubrica "Fora de Tempo".

O material escolhido para apresentar o filme é um breve trecho onde podemos ter uma noção do que podemos encontrar ao longo de "Noite Escura", ou seja, um drama intenso sobre uma família disfuncional que gere um bar de alterne. Como podemos depreender pelo trecho, no filme de João Canijo ninguém é puramente inocente, todos são corrompidos por um estilo de vida pouco recomendável que irá trazer graves consequências a todos os elementos desta família. Desengane-se quem pensar que o filme vem recheado de vastas lições de moral, pois o filme procura apenas apresentar um retrato brutal sobre um conjunto de pessoas que está habituada a lidar com um ambiente de desumanização, a ponto de todo este quotidiano lhes parecer natural.

O filme é realizado por João Canijo, através de argumento do próprio e e Pierre Hodgson com Mayanne Von Ledebur. O filme conta no elenco com um conjunto de nomes bem conhecidos do público, tais como Fernando Luís, Rita Blanco, Beatriz Batarda, José Raposo, Anabela Moreira, entre outros. A produção ficou a cargo de Paulo Branco.

O enredo de "Noite Escura" é inspirado livremente na tragédia grega "Ifigénia em Áulis", de Eurípedes, e desenrola-se maioritariamente numa casa de alterne do interior do País, numa noite escura de Inverno que promete tornar-se o pior pesadelo de sempre para os personagens que povoam este universo. A história acompanha mais um dia de trabalho para a família que gere a casa de má fama, nomeadamente, o pai (Fernando Luís), mãe (Rita Blanco) e duas filhas (Beatriz Batarda e Cleia Almeida), duas raparigas que entretêm e seduzem os clientes, num mundo de falsas aparências, onde os sonhos de uma vida melhor acabarão por se desfazer. Quando um negócio corre mal, o pai é obrigado a sacrificar a sua filha mais nova junto de vários elementos da máfia, e consequentemente destruir toda a sua família

O filme teve uma recepção muito positiva por parte do público, tendo vencido o prémio de Melhor Filme no Festiva Caminhos do Cinema Português (2005), o Troféu Andorinha para Melhor Edição/Montagem no Cineport (2005). "Noite Escura" ainda esteve presente em festivais como "Festival de Cannes" (2005), "Festival de Montreal" (2004), "Indielisboa" (2004), entre outros.

Fiquem agora com o trecho de "Noite Escura":

Sem comentários: