23 novembro 2011

Veja o trailer e leia a sinopse de Reis e Ratos

O site oficial de "Reis e Ratos", o novo filme do realizador Mauro Lima (do excelente "O Meu nome não é Johnny") foi inaugurado, tendo disponibilizado on-line a sinopse oficial e o trailer do filme. Pelo trailer, parece que vem aí mais uma boa produção brasileira. Podem ver o trailer no final do post.

O filme é realizado por Mauro Almeida, através de guião do próprio. "Reis e Ratos" conta no elenco com Selton Mello, Otávio Müller, Rafaela Mandelli, Orã Figueiredo
Rodrigo Santoro, Cauã Reymond, Paula Burlamaqui, Seu Jorge, Élcio Romar, Helio Ribeiro, Daniel Alvim, Kiko Mascarenhas, Oberdan Jr., Edmilson Barros, entre outros. A banda sonora do filme está a cargo do prestigiado Caetano Veloso.

Sinopse: Estado do Rio de Janeiro, 1963. Um coreto no centro de um pequeno município explode no exacto momento da abertura de uma gincana local. O alvo do atentado é uma cantora de boate, cuja presença é uma das tarefas da efeméride anual. A mulher, porém, escapa ilesa. Pouco antes do coreto ir pelos ares ela escuta no rádio do automóvel uma estranha transmissão; o locutor, em transe, revela o plano que pretendia vitimar a ela própria. Esta é a cena inicial, a partir daí o filme conta, através de uma narrativa em flash-back, uma espécie de parábola suja da Guerra Fria. A trama e suas situações conduzem o espectador por entre a atmosfera conspiratória das vésperas do golpe militar de 1964 e seus ecos, nas ruas da cidade e nos corredores da Embaixada Americana.

Reis e Ratos cria uma narrativa obscura e delirante ocorrida numa certa "antessala" dentro do cenário golpista. Tudo é contado através dos pontos-de-vista de um grupo de personagens. Todos são parte integrante ou, de algum modo, ligados à conspiração golpista. Entre eles: Um agente da CIA locado no Rio de Janeiro (Selton Mello), um vigarista, ex-cafetão e viciado em anfetaminas (Rodrigo Santoro), um locutor de rádio (Cauã Reymond), uma crooner de boate (Rafaela Mandelli) e um Major da Aeronáutica (Otavio Muller).

Um agente da CIA em posto avançado no Rio de Janeiro, acaba por se envolver afectivamente com a cidade. Casa-se com uma carioca e começa a defender, acima de tudo, uma certa “Pax Brasileira”, à base de Bossa Nova, chope e bolinhos de aipim na esquina. Ao lado de seu parceiro de serviço, Esdras Peçanha, major da inteligência da aeronáutica, tenta fazer com que o presidente seja deposto através de escândalos sexuais forjados e um falso crime passional. Tudo é parte de um plano mequetrefe para que o uso do dispositivo militar, tanto golpista quanto legalista, não precise ser empreendido. O projecto, porém, fracassa miseravelmente por conta do ébrio locutor radiofónico que parece “antever” as ideias da dupla e, pior, anunciá-las ao vivo. Tudo em seu programa vespertino de música romântica, em um bizarro transe mediúnico. A suspeita dos oficiais de inteligência é de que o locutor seja objecto de experiências da KGB com parapsicologia e agentes telepatas, a mitológica “O.B.E. Out of Body Experience”. Para completar, o suposto médium se envolve amorosamente com a mulher que co-protagoniza os escândalos sexuais em questão, a cantora da noite, Amélia Castanho e seu ex-proxeneta Roni Rato. Depois da morte de JFK e a consecutiva posse de Lyndon Johnson a política externa engrossa e a pressão pelo golpe aumenta. Ao passo que o Pentágono decide tomar as medidas necessárias pra enviar seus rapazes e “brinquedos” à terras tupiniquins o, recém tropicalizado agente da CIA, começa ter surtos envolvendo a perspectiva de que seu novo lar possa virar palco da iminente guerra civil. Ele teme que seu boteco favorito vire estacionamento de tanques de guerra e a praia de Botafogo se torne atracadouro de porta-aviões americanos.

A história central é ficção pura e fornece uma versão alternativa e um tanto absurda do porquê de não ter sido disparado um único tiro naquilo que veio a ser chamado de “Revolução” de 64, ditadura feroz que tomou conta do poder por quase um quarto de século. O pano de fundo, entretanto, é inspirado pelos fatos reais e seus desdobramentos, bem como, os episódios históricos que antecederam e/ou justificaram o golpe de estado de 1964.; A operação “Brother Sam” no Brasil, a era “Jango”, a rebelião na Associação dos Marinheiros, a nacionalização crescente de empresas estrangeiras, o fracasso americano na Baía dos Porcos, o assassinato de JFK e suas consequências na América Latina.

"Reis e Ratos" estreia no dia 20 de Janeiro, nas salas de Cinema brasileiras.

Trailer de Reis e Ratos (clicar em mais informações):





Sem comentários: